Amor de Verão: Capítulo 1



20200112_193857

BRASIL, 2019

CENA 1: VALE DO SOL. CASA DE DIANA. INTERIOR. NOITE
Diana acompanha o pôr do sol, pensando no marido que desapareceu há anos. A câmera se afasta, focando no rosto da jovem Clara que fica pensando na mãe ao vê-la sempreda mesma maneira.

CLARA: – Pensando no papai de novo, mãe?
DIANA: – Não tem um dia que eu deixo de pensar nele, filha e no que ele nos fez.

CLARA ABRAÇA A MÃE.

CLARA: – Não fique assim, mãe. Eu sei o quanto isso é doloroso para a senhora.
DIANA: – Não se preocupe, filha. Eu vou ficar bem, agora voce precisa ir para o seu emprego.
CLARA: – Eu vou, mas a senhora me promete que ficará bem.

Diana sorri diante do pedido de sua filha.

DIANA: – Fique tranquila, eu prometo que vou ficar bem.

Clara beija o rosto da mãe. Ela se encaminha para o trabalho, sorridente.

CORTA PARA:


CENA 2: SÃO PAULO. CASA DE OTÁVIO LAGO. NOITE
Otávio está em seu escritório resolvendo algumas coisas de seu trabalho quando levanta o olhar e vê seu filho, Bruno, saindo. Otávio rapidamente se levanta.

OTÁVIO: – Aonde voce pensa que vai, Bruno?

Bruno para com a mão na maçaneta. Ele se volta para o pai.

BRUNO: – Para bem longe daqui. Para bem longe do senhor.
OTÁVIO: – Você irá se arrepender do que está fazendo, filho.
BRUNO: – Talvez, mas por enquanto é a melhor decisão que eu tenho para tomar. Eu o admirava, pai, mas depois que eu descobri tudo não posso continuar aqui.

Otávio se cala. Bruno deixa a casa.
CORTA PARA:


CENA 3: SÃO PAULO. CASA DE RAMÃO VILELA. QUARTO. INTERIOR. NOITE.
Ramão está deitado. Ele rola de um lado para o outro na cama. Ramão se levanta. Ele não consegue dormir.

RAMÃO: – Eu tenho que resolver isso antes que seja tarde demais.

Ramão leva uma das mãos a cabeça e pensa.

RAMÃO: – Não será nada fácil, mas eu tenho que fazer, pelo menos para que essa angústia, esse sentimento de culpa se vá para sempre.

Ramão olha pela janela, assim como fazia antes de tudo acontecer.
CORTA PARA:


CENA 4: ESTRADA. NOITE
O carro em que Bruno está segue pela estada que leva até Vale do Sol. Após algumas horas de viagem, ele se aproxima do destino. Distraído com a beleza noturna do lugar, não vê uma moça cruzando a rua. Bruno freia bruscamente, assustado. Ele sai rapidamente do carro afim de prestar soccoro. A moça está caída. Bruno se aproxima.

CLARA (IRRITADA): – Infeliz!!! Você acha que pode sair por aí dirigindo dessa maneira?!
BRUNO (PREOCUPADO): – Desculpa, desculpa! Eu estava distraído e não vi você. Mas como você está?

Bruno está preocupado. Clara emburrece. A jovem tenta se levantar, mas sente uma dor no pé. Bruno segura a jovem ao perceber que ela vai cair. Olhos nos olhos e os dois sentem uma forte atração, algo inexplicável. Saindo do pequeno transe, Bruno a leva até seu carro. Eles partem rumo ao hospital mais próximo.
CORTA PARA:


CENA 5: CASA DE DIANA. SALA. INTERIOR. MANHÃ
Diana está preocupada. A mulher anda de um lado para o outro.

DIANA (PREOCUPADA): – Aonde será que essa garota se meteu, meu Deus?

Diana segue até a janela. Um carro para bem em frente da casa. Diana fica surpresa ao ver Clara saindo do carro. Não demora e Bruno também sai.

DIANA (INTRIGADA): – O que essa menina andou aprontando?

Clara se despede de Bruno. A jovem entra em casa. Bruno a observa de longe e sai com o carro. Clara fica frente a frente com a mãe.

DIANA: – O que aconteceu, Clara?
CLARA: – Oh, minha mãe! Me desculpe por isso, por ter deixado a senhora sozinha, mas é que essa noite me aconteceu tanta coisa que não tive tempo de avisar.

Clara se põe a contar o que aconteceu.
CORTA PARA:


CENA 6: VALE DO SOL. POUSADA. INTERIOR. MANHÃ
Bruno coloca a mala sobre uma poltrona. Ele pensa em Clara e em como a conheceu. Bruno sorri.

BRUNO (DESLUMBRADO): – Clara… então o seu nome é Clara.

Bruno se deita na cama, logo a imagem de Clara vem em seu pensamento. Os olhos do rapaz se fecham devagar. Bruno adormece.
CORTA PARA:


CENA 7: SÃO PAULO. CASA DE OTÁVIO LAGO. SALA. INTERIOR. MANHÃ.
Otávio desce pelas escadas quando algo que ele vê o faz parar de repente.

OTÁVIO: – Eu não posso acreditar que você já esteja aqui tão cedo.

A câmera se aproxima da outra pessoa, focando rapidamente em seu rosto.

ALICE: – Queira me desculpar, senhor Otávio. Mas eu não aguentava mais esperar, eu tive de vir e saber como o Bruno está. Eu amo muito o seu filho…

Otávio interrompe Alice.

OTÁVIO: – O meu filho não está mais aqui, Alice. Ele não mora mais aqui.

Alice é pega de surpresa pela informação que não esperava.

[A cena congela, logo uma luz intensa semelhante à um raio de sol preenche a imagem com uma cor alaranjada.]

CONTINUA…

Um comentário sobre “Amor de Verão: Capítulo 1

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s