Meio Crônico: A Fuga da Inspiração



Várias coisas podem nos dar ou retirar a inspiração necessária. É chato demais ficar sem aquela pontinha de inspiração que nos leva a criar de uma forma muito mais impactante, que faz a gente pensar ‘nossa! Eu mesmo escrevi isso’ e de fato escrevemos ou criamos, depende do que estamos a fazer, a realizar. Quando esta dita ‘pontinha’ de inspiração falta, parece que ficamos perdido em um mar revolto de inutilidades, pensando em como vencer tal tormenta para que possamos ver novamente o sol a brilhar com toda sua intensidade.
Às vezes me pego com a caneta e o papel em mãos, mas parece que um vazio se instalou em todo o canto, e que tudo está absolutamente branco, somente esperando que eu pinte o sete, mas infelizmente nada de útil se vem à mente que possa ser ‘jogado’ na tela ou nesse caso, no papel. A inspiração quando resolve se isolar, não tem hora para retornar, e dessa forma nos deixa à mercê de um mar no qual as ondas desejam ferozmente nos engolir.
É de fato admirável que algumas ‘cabecinhas’ consigam retirar desse revoltoso mar, a inspiração que falta, eu mesmo já fiz isso algumas vezes, mas como um crítico severo de minhas próprias obras, não senti o impacto que tanto almejava, mas outros sentiram ao vê-la. Não desejo à ninguém a falta de inspiração, pois de verdade é um tormento, mas o que acalma é saber que sua ‘fuga’ sempre tem um fim e espero de verdade que seja sempre assim, que ela vá,  mas retorne.

 

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s