Máscaras & Verdades: Capítulo 9



20170703_070957


​2016

CENA 1: MONTES ALTOS | ORLA | EXTERIOR | NOITE

O beijo de Diego e Juliana acontece com muita paixão, uma intensidade de sentimentos sem medida. Alguns minutos, poucos, se passam até que ambos se afastam. Diego sorri, Juliana também não deixa de sorrir, mas ela se mostra envergonhada. Diego toca o rosto de Juliana com suavidade.

DIEGO: – Eu estaria sendo um idiota se pedisse desculpas por esse beijo, pois era algo que eu queria muito… um desejo que se instalou em mim naquele mesmo dia em que nos conhecemos. – Revela, sorrindo, olhando fixamente para a face de Juliana.

Juliana levanta a cabeça devagar, esboçando um pequeno sorriso, tímido sorriso. Diego a envolve em seu abraço, um abraço repleto de carinho, mas também com um sentimento muito mais intenso.

JULIANA: – Obrigado! – Agradece, sentindo melhor o abraço de Diego. Ela se reconforta.

Do carro de Isaque, Sabrina observa Diego e a outra mulher. Isaque dá uma pequena olhada, acelerando o veículo.

SABRINA (Pensando): – Isso não vai ficar assim, eu juro! – Pensa enquanto se afasta do casal.


CENA 2: MONTES ALTOS | CASA DE ISAQUE | SALA | INTERIOR | NOITE 

Eron está sentado no sofá, ele olha com muita atenção para o celular, parece estar chorando. A tela se apaga, Eron coloca o aparelho no bolso da calça, momento em que ouve  um veículo chegando, ele se levanta, seguindo  para perto  da janela, afastando a cortina e vendo o irmão sair do veículo.

Isaque entra na casa, logo corre o olhar para a sala e vê o rapaz parado próximo da janela. Ele olha para o rapaz com ceeta desconfiança, tentando se lembrar com exatidão de quem ele é, então acaba se lembrando.

ISAQUE: – Eron!? – Indaga,  se aproximando do irmão.

ERON: – Eu mesmo. – Responde de forma firme. – Você é Isaque… meu irmão. – Diz encarando-o.

ISAQUE: – Você cresceu… mudou muito desde a última vez que eu lhe vi. – Comenta, observando o irmão mais novo, que realmente tem um estilo próprio e marcante. – Bom, sinta-se em casa, Eron.. eu vou subir, amanhã conversamos melhor. – Diz, passando por ele é seguindo para a escada. Eron observa o irmão mais velho com um olhar misterioso.


CENA 3: MONTES ALTOS | CASA DE JULIANA | QUARTO | INTERIOR | NOITE 

Juliana caminha devagar até a janela, sorrindo enquanto se lembra do beijo de Diego, ela sente como se tivesse acabado de acontecer. Juliana encosta o rosto no vidro da janela, ficando pensativa.

JULIANA: – Eu queria ter resistido, mas foi maior do que eu, foi maior do que eu pudesse controlar. – Diz, passando a ponta dos dedos nos  lábios. Ela sorri mais uma vez de forma farta.


CENA 4: MONTES ALTOS | CASA DE ALBERTA | QUARTO DE DIEGO | INTERIOR | NOITE 

Diego também pensa no beijo que deu em Juliana, aumentando ainda mais o sentimento que nutre por ela. Ele retira boa parte da roupa, ficando apenas de cueca, então se deita na cama, sorrindo.

DIEGO: – Essa foi a melhor noite de todas. – Afirma, pensando em Juliana, no que conversaram enquanto caminhavam. – Eu nunca tive tanta certeza de algo. – Conclui, sorridente.


CENA 5: MONTES ALTOS 

Os dias passam. Juliana volta a ajudar a mãe com a venda dos doces caseiros enquanto não surge outra encomenda na galeria da melhor amiga. Ela às vezes se encontra com Diego, ambos acabam se aproximando ainda mais.

Daiana tenta falar sobre seu relacionamento com o maior interessado, Marcelo, mas ele acaba dando muita atenção ao consultório, esquecendo de resolver seus problemas pessoais.

Júlio tenta se afastar de Yana, que por  sua vez não dá brecha para que isso aconteça, sempre  ficando no pé do namorado, que estranhamente não consegue se esquecer do esbarrão no rapaz do aeroporto.

Eron tem a prova de que Isaque está pouco se importando com a presença dele. Os dois só falam o básico, deixando irmãos bem distante um do outro mesmo morando na mesma casa.

Sabrina tenta encontrar uma maneira de ter Diego somente para ela, mas acha dificuldades nos planos que passa ter em mente. Ela quer fazer tudo sozinha, mantendo-se longe de qualquer ajuda de Isaque.

Sebastião continua a vigiar de perto a vida do filho, que percebe sempre que está sendo seguido e vigiado, mas não se importa, mesmo que seja estranho.

Joana só pensa nos filhos e em uma maneira definitiva de encontrá-los. Ela adia a volta ao local em que tem certeza que viu Gabriel, receando não suportar o fato de poder estar enganada.

DIAS DEPOIS 


CENA 6: MONTES ALTOS | EXTERIOR | MANHà

Juliana caminha pela calçada, levando em uma cesta, alguns doces feitos pela mãe, Heloísa. Simpática, ela oferece os doces para quem passa por ela, alguns recusam, outros compram. Ela segue, pensando em Diego quando vê um carro passar muito perto da calçada, ela não dá  muita atenção, continuando normalmente. O homem sai do veículo  assim que ele para um pouco à frente, ele caminha na direção de Juliana, que para. O homem se aproxima, sorridente, ele é Isaque.

ISAQUE: – Quanto é o que você está vendendo? – Pergunta, demostrando estar interessado.

JULIANA: – São cinco reais, senhor. – Responde, simpaticamente.

ISAQUE: – Certeza?  – Indaga,  se aproximando um pouco mais.

JULIANA: – Absoluta. – Responde, intrigada com a aproximação do homem. – Vai querer? – Pergunta, desviando o olhar para a sacola que carrega.

ISAQUE: – Eu só vou querer se você aceitar tomar um café comigo. – Responde,  tocando na mão dela.

Juliana levanta o olhar devagar, demostrando o incômodo pela direta do homem. Isaque a olha de forma insistente. Diego passa de carro, seguindo para a direção da casa de Juliana, ele freia o veículo, estacionando rapidamente bem próximo da cena. Ele sai do carro sem ser notado por Isaque, Juliana o vê, respirando visivelmente aliviada, algo que Diego nota.

DIEGO: – Juliana!? – Indaga, percebendo o incômodo dela. – Está tudo bem?

ISAQUE: – Vai embora, cara… ela está me atendendo primeiro se é que você não está vendo. – Diz, sem se dar ao trabalho  de saber com quem fala.

Juliana olha sem reação, ela fica parada, arregalando os olhos assim que vê Diego se irritar com o afrontamento do homem. Diego se põe entre Juliana e Isaque, ele o reconhece.

DIEGO: – Eu deveria imaginar! Eu deveria saber que era você. – Diz, encarando Isaque, que também demonstra conhecer Diego.

Diego e Isaque se enfrentam apenas com o olhar, deixando Juliana apreensiva.


CENA 7: MONTES ALTOS | RUA | EXTERIOR | MANHà

Joana finamente decidiu por voltar ao lugar onde  viu o garoto de rua. Ela para o carro próximo de um poste, apreensiva sai do carro, olhando diretamente para o sinal onde  vê um garoto que está de costas para ela, ela percebe ser o mesmo do outro dia.

JOANA: – Gabriel! – Diz em um tom audível, seguindo para perto do garoto, que por sua vez se vira ao ouvir o nome. Ele deixa cair as bolas com que faz o malabarismo.

Joana não percebe, mas o sinal à sua direita se abre, ela segue, emocionada sem notar que um carro se aproxima. De repente, o veículo freia, mas não o suficiente para evitar uma batida que deixa Joana desacordada. O homem sai do veículo,  é Viriato, ele segue nitidamente assustado e preocupado até a mulher. Gabriel é puxado por alguém, desaparecendo depois que uma roda de  curiosos se forma.

Caída no asfalto, Viriato toca o pescoço da mulher, verificando se ela ainda vive. A imagem se congela em um azul fosco, logo se parte em diversos pedaços.

CONTINUA

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s