O Que o Tempo Levou: Capítulo 5


20170515_210431



ANO DE 2009

CENA 1: ONDAS DO PARAÍSO | CENTRO | AGÊNCIA CRIATIVIDADE | SALA DE MAURÍCIO | INTERIOR | MANHà

Maurício olha para Estela com um olhar sereno, ele se levanta de sua cadeira e segue até perto dela, um fica de frente para o outro. Ela tenta entender o que de tão urgente pode ser, e ele admira os olhos dela e pensa no beijo.

ESTELA: – O senhor queria falar comigo? – Pergunta, intrigada e desviando o olhar do de Maurício.

MAURÍCIO: – Eu não sei por onde começar, Estela. – Diz enquanto segue para perto da janela sob o olhar curioso de Estela. – Eu queria que isso que tenho para dizer fosse fácil mas não é nem um pouco. – Ele volta o olhar para ela, que está aflita.

Estela pensa que será demitida, seus olhos se enchem de lágrimas enquanto Maurício a encara. Maurício caminha de volta até Estela, ele volta a parar de frente para Estela.

ESTELA: – Provavelmente eu já sei o que o senhor quer dizer, e quero me desculpar pelo que houve ontem, eu estou muito envergonhada. – Diz abaixando a cabeça.

Maurício leva a mão no queixo dela e com delicadeza a faz levantar o rosto, os dois se olham, um olhar que parece quebrar a última camada que o impedia de dizer o que deseja dizer.

MAURÍCIO: – Não se desculpe, por favor. Eu quis, na verdade me controlei para não beijá-la. Eu sei que isso parece estranho, mas eu estou completamente apaixonado por você, não sei como explicar, é maior do que eu, maior do que a própria razão. Ontem quando cheguei de viagem, a vi naquele ponto de ônibus e senti esse sentimento surgir. – Diz olhando nos olhos dela.

Estela está vermelha, sua timidez se faz mais que presente. Ela pensa no ponto de ônibus e recorda do que Maurício dissera.

ESTELA (Pensando): – Então ele estava sorrindo pra mim mesmo! – Exclama enquanto sorri por dentro.

Mauricio segura a mão de Estela com grande carinho e ternura, ambos se olham, e ele percebe que ela está visivelmente emocionada. Uma força maior os acometem e os rostos se aproximam, logo um beijo longo e apaixonado, acontece. Maurício e Estela mantêm o beijo na mesma intensidade durante alguns minutos, até que ele se afasta abruptamente.

MAURÍCIO: – Desculpa, desculpa! Eu não resisti, foi mais forte que eu. – Pede enquanto se vira, se sentindo culpado pelo que acabou de fazer.

Estela, com seus sentimentos à flor da pele, se aproxima de Maurício. O sentimento que antes ela também reprimiu,  se liberta com muita força.

ESTELA: – Eu também senti o mesmo pelo senhor, é inexplicável. – Afirma, fazendo Mauricio se voltar para ela. – Parece que eu já conheço o senhor há tanto tempo, mesmo de fato isso não ser verdade.

Maurício volta a segurar as mãos de Estela.

MAURÍCIO: – É a mesma sensação que eu tenho. – Diz voltando a sorrir. – Eu quero viver isso, Estela. Eu quero conhecer você completamente, quero estar com você. – Revela com certo receio.

Estela o olha com certa preocupação, ele percebe.

MAURÍCIO: – Eu vou entender se você não quiser, Estela.

ESTELA: – Não é isso. – Ela levanta o olhar. – Eu tenho medo do que possam dizer. – Revela o seu medo enquanto volta a baixar o olhar.

MAURÍCIO: – Não tenha medo, de verdade. Eu vou estar ao seu lado e não importa o que digam, não importa. – Diz voltando a colocar o dedo no queixo de Estela e fazendo ela levantar a cabeça. Maurício a abraça com muito carinho. Estela sorri, aliviada e apaixonada entre o abraço de Maurício.


CENA 2: ONDAS DO PARAÍSO 

Algumas pessoas caminham na praça da cidade, outras apenas estão sentadas no banco. Muitos carros passam para lá e para cá, assim também como as pessoas no Centro da cidade. Alguns surfistas se divertem nas ondas o mar. As nuvens no céu correm depressa, logo e notável o passar das horas. Estela sai da sala de Mauricio com um grandioso sorriso no rosto ela se mostra feliz por ter coragem de revelar seus sentimentos, Laís a observa de longe.

Na casa de Carmen, ela tem uma seria conversa com a filha mais velha. Bianca parece escutar tudo o que sua mãe diz de forma um pouco alterada por conta de tudo que acontece.

Na casa dos Ferreira, Clodoaldo e sua esposa se distraem na cozinha conversando com a fiel cozinheira. De volta a agencia criatividade, Mauricio analisa alguns documentos e sorri de maneira farta ao se lembrar do sabor dos lábios de Estela. As horas passam e logo a noite se aproxima. O por do sol sempre é um espetáculo a parte na cidade de ondas do paraíso.


CENA 3 ONDAS DO PARAISO | BAIRRO COSTEIRO | CASA DOS BELMONTE | SALA | INTERIOR | NOITE

Estela chega em casa com seu sorriso um pouco diferente, parece mais Feliz do que já era, ela entra na casa, passa pela sala e quando chega no corredor, sua mãe vem de encontro a ela é percebe logo de cara que a filha mais nova está diferente.

CARMEN: – O que houve, filha? – Pergunta ao se aproximar um pouco mais de Estela.

ESTELA: – Eu preciso contar uma coisa depois, mãe, mas antes vou me banhar.

CARMEN: – Já me deixou curiosa, filha.

ESTELA: – Cadê a Bianca, mãe? – Pergunta olhando em direção a cozinha.

CARMEN: – Ela está bem agora. Está no quarto, tivemos uma longa conversa e acertamos tudo.

ESTELA: – Ela não gritou com a senhora, mãe? – Questiona, preocupada.

CARMEN: – Não, filha, a gente conversou, só isso. Está tudo bem, pode ficar tranquila.

Carmen beija a testa da filha e volta para cozinha. Estela segue direto para o quarto.


CENA 4: ONDAS DO PARAÍSO | BAIRRO COSTEIRO | CASA DOS BELMONTE | QUARTO DE BIANCA | INTERIOR | NOITE 

Bianca olha para o espelho enquanto pensa em tudo que ela e Carmen conversaram. Ela se irrita de uma maneira que derruba o espelho no chão.

BIANCA: – Nada disso vai ficar assim, nada. Eu não vou ter minha liberdade privada dessa maneira, não sou mais nenhuma criança que deve ser castigada assim. – Diz olhando para os pedaços de espelho. – Aquele tapa terá volta, irmãzinha. – Ela promete ao passar a mão pelo rosto e se lembrar do tapa que levou nessa região. O olhar de Bianca é algo indecifrável, mas que coloca medo.


CENA 5: ONDAS DO PARAÍSO 

O movimento de carros na avenida diminui. Do Alto de um morro é possível ver a cidade de Ondas do Paraíso quase inteira. As horas passam e logo a noite também, o dia não tarda a amanhecer.

TRÊS SEMANAS DEPOIS


CENA 6: ONDAS DO PARAÍSO | BAIRRO ROMANO | CASA DOS FERREIRA | SALA| INTERIOR | MANHà

Maurício vem da cozinha já pronto para ir até a agência quando sua mãe o faz parar. Rosa termina de descer pela escada e se põe a frente do filho.

ROSA: – Você vai me contar o que está acontecendo, filho?

MAURÍCIO: – Mãe, vou contar depois, mas fique despreocupada, não é uma coisa ruim, prometo. – Responde antes de beijar a testa dela. – Não vou demorar pra contar tudo, não fique aflita.

Maurício sai de casa, deixando Rosa mais pensativa do que nunca.


CENA 7: ONDAS DO PARAÍSO | MANHà

Maurício dirige seu carro em direção à agência. Ele passa pela orla da praia. As pessoas fazem caminhada, outras correm, aproveitam o frescor da manhã.


CENA 8: ONDAS DO PARAÍSO | BAIRRO COSTEIRO | CASA DOS BELMONTE | COZINHA | INTERIOR | MANHà

Estela toma o café da manhã na companhia da mãe. Carmen observa a filha enquanto ambas se servem. Estela sorri do nada ao se lembrar de Maurício.

CARMEN: – Esse rapaz está te fazendo bem mesmo, filha. Eu fico feliz em ver você feliz. – Comenta, sorridente. – Só que eu quero conhecê-lo, viu, filha? – Ela acrescenta.

ESTELA: – Eu já falei com ele, mãe e ele ficou de vir hoje aqui, de noite. – Diz com grande felicidade.

CARMEN: – Então vou preparar algo especial, filha.

ESTELA: – Não precisa, mãe. A senhora vai ter muito trabalho e eu não estarei aqui para lhe ajudar.

CARMEN: – Não é muito trabalho, filha. Eu só vou fazer o que sempre faço, não se preocupe.

Bianca entra na cozinha, ela se recusa a fazer contato visual com Estela, deixa transparecer toda sua raiva mesmo sem dizer uma palavra sequer.

ESTELA: – Bom, vou indo, mãe. – Ela sai da mesa. – Até mais tarde! – Diz antes de beijar o rosto da mãe e sair.

Assim que Estela sai de casa para ir ao trabalho, Bianca encara a mãe com curiosidade.

BIANCA  (Enquanto passa a manteiga no pão): – Então mãe, quem é que vem aqui hoje?

CARMEN: – Você só vai saber mais a noite, não está merecendo saber de nada na verdade. – Ela Responde enquanto se levanta da cadeira.

BIANCA: – É o namorado dela, não é?  Eu ouvi vocês conversando. – Diz levantando o olhar. – Aposto que é um pé rapado que não tem dinheiro nem para o café da manhã. – Debocha ao abrir um sorriso.

CARMEN: – Que problema há nisso? O que importa é que sua irmã está feliz. Enquanto você está aí com essa tromba, o tempo está passando e fique sabendo que o tempo costuma sempre levar e só traz de volta se merecermos, coisa que você não faz por onde. – Carmen deixa a filha mais velha sozinha na cozinha.

BIANCA: – Vamos ver até onde vai essa felicidade toda. – Ela ri. – Ninguém nesse mundo sobrevive somente com amor somente, é preciso muito mais do que isso, é necessário dinheiro. – Diz após terminar de tomar seu café.


CENA 9: ONDAS DO PARAÍSO | MANHà

O Movimento dos veículos aumentam consideravelmente. Um ônibus para no ponto próximo da agência criatividade, Estela sai rapidamente de dentro do transporte e segue em direção ao trabalho.


CENA 10: ONDAS DO PARAÍSO | CENTRO | AGÊNCIA CRIATIVIDADE | SALA DE MAURÍCIO | INTERIOR | MANHà

Maurício olha pela janela, ele ostenta um sorriso grande, a felicidade dentro do peito é maior ainda, e tudo isso ganha um novo tamanho quando a porta se abre e Estela entra, ela ainda sorri de maneira tímida. Estela fecha a porta e segue até próximo de onde Maurício está. Os dois se olham, em seguida se beijam apaixonadamente.

ESTELA: – Desculpa perguntar isso, Maurício, mas eu tenho que perguntar.

MAURÍCIO: – Pergunte, Estela, não precisa se desculpar. – Ele acaricia a face dela.

ESTELA: – Você ainda vai lá em casa hoje?

Maurício dá um beijo em Estela.

MAURÍCIO: – Não tem como deixar de ir.  – Ele sorri. – Vai ser um prazer conhecer sua família. – Diz após o beijo.

Os dois sorriem entres os vários beijos que dão.


CENA 11: ONDAS DO PARAÍSO 

As horas passam depressa. Já é possível contemplar novamente o majestoso pôr-do-sol. Na praia algumas pessoas se divertem na água outras observam o por do sol. As ondas quebram no mar. A noite chega.


CENA 12: ONDAS DO PARAÍSO | BAIRRO COSTEIRO | CASA DOS BELMONTE | SALA | INTERIOR | NOITE 

Estela termina de ajeitar as coisas em cima da mesa, logo ela chega na sala e se senta ao lado da mãe no sofá. Bianca está sentada no sofá menor com sua cara de poucos amigos.

BIANCA: – O pobretão está vindo de Jumento, Estela?

ESTELA: – Não vou me dar o trabalho de responder, Bianca. – Diz encarando a irmã mais velha.

Estela se levanta e segue até a janela, ela afasta um pouco a cortina e abre um sorriso ao ver o carro de Maurício parando. Estela segue até a porta e abre, logo Maurício se aproxima com um grande sorriso, ele segura em sua mão e entram novamente na casa.

Bianca fica com o queixo caído e acaba reconhecendo Maurício como sendo filho de Clodoaldo Ferreira, ela encara Maurício enquanto ele cumprimenta Carmen. O olhar de Bianca é algo além da admiração.


|||AMANHÃ No Capítulo ESPECIAL|||

Bianca sente uma grande inveja da irmã, não se conforma por ela estar namorando um homem rico.


CONTINUA 


Anúncios

7 comentários sobre “O Que o Tempo Levou: Capítulo 5

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s