Amor Indomável: Último Capítulo  (25)


20170325_185603



2017, Centro-oeste do Brasil 

CENA 1: Fazenda Serrado, Jardim, Exterior, Manhã 

Laura e Frederico caem para o lado, ela devido a Frederico tê-la empurrado. Eles olham e veem Perpétua correndo para dentro da casa, outra olhada e ficam chocados ao verem Samira caída, ela se contorce por conta do tiro que levou. Laura se levanta rapidamente e se põe ao lado da prima. Samira coloca a mão no peito que sangra.

SAMIRA: – Era pra eu estar no lugar dela, mas ela foi mais rápida. – Confessa ao ver Laura do seu lado.

LAURA: – Para que tudo isso, Samira? Não entendo.

SAMIRA: – Eu também não entendia, aliás… – Ela faz uma pausa. – Até hoje eu não entendo. Quando eu vi ele naquele dia, automaticamente fiquei fissurada. Você sempre teve tudo, Laura, sempre teve tudo e eu nada.

LAURA: – Meu pai gostava de você como uma filha, como uma filha. Você escolheu viver de forma simples, não queria ser como eu.

SAMIRA: – Eu me arrependo de quase tudo, Laura, menos de ter amado o Frederico, mesmo que eu não tenha tido nada com ele. Eu me vi cega, absolutamente cega com esse sentimento e aceitei tudo para que pudesse ficar com ele. – Diz enquanto se lembra da proposta de Perpétua. – Eu estava disposta a tudo.

LAURA: – Agora não é momento pra isso, você nos salvou, se colocou na frente de uma arma. Vou fazer de tudo pra que você fique bem.

Samira continua a sangrar. Laura levanta a cabeça e recebe um sinal positivo de Rubens, que já avisara o socorro. Laura segura na mão de Samira tentando, mesmo com a situação tensa, dar uma pequena ajuda.


CENA 2: Fazenda Serrado, Rio, Exterior, Manhã 

Perpétua passa por dentro da casa e sai pelos fundos. Ela corre pelo campo com um estranho sorriso no rosto, acredita ter matado sua filha.

PERPÉTUA: – Ela vai estar com você logo logo, Horácio. – Afirma fazendo uma pequena parada, logo volta a correr novamente.

Perpétua alcança a margem do rio, ela olha em direção a sede da Fazenda, depois corre seus olhos pelo rio, que agora tem suas águas sujas devido às chuvas.

PERPÉTUA: – Ninguém vai me pegar, ninguém vai tocar em mim. – Diz enquanto gargalhaEla se ajoelha sobre a grama e olha para a outra margem do rio, então arregala os olhos. – Mãe, irmão, Horácio. – Ela sorri. – Vocês também estão aqui, não morreram. – Continua enquanto olha fixamente para o outro lado.

Perpétua começa a andar de joelhos e sorri o tempo todo, do outro lado do rio não há ninguém, apenas  alguns troncos de árvores.

PERPÉTUA: – Eu vou até vocês, esperem, eu vou até aí, não vou demorar! – Grita entrando no rio.  – Vocês me perdoaram, me perdoaram.

Perpétua entra por completo na água, a correnteza está forte e ela continua a seguir para o meio acreditando piamente que está vendo as pessoas que ela matou.


CENA 3: Flashback 

2005, Fazenda Serrado

Perpétua segue com duas taças de vinho na mão direita e na esquerda carrega uma garrafa, aproveita a porta entreaberta do escritório de Horácio e entra,  fechando em seguida com a ponta do pé.

PERPÉTUA: – Trouxe algo para você relaxar, meu amor.

Horácio está sentado na cadeira atrás da mesa, ele se levanta ao ver Perpétua.

HORÁCIO: – Não precisava, Perpétua. – Diz ao se aproximar dela. – Deixe eu ajudar você. – Ele pega as taças da mão dela.

PERPÉTUA: – Precisava sim, pois você anda muito ocupado ultimamente, sinto sua falta. – Sorri antes de beijá-lo.

Perpétua começa a servir o vinho, primeiro em sua taça, ela tem um pequeno sorriso no canto da boca. Na taça de Horácio é notório a presença de um pó branco, que assim que o vinho o toca, ele começa a se diluir. Perpétua pega sua taça e entrega a de Horácio, que sorri.

PERPÉTUA: – Ao nosso amor, à nossa família, ao futuro. – Diz ao levantar sua taça e brindar com Horácio.

Horácio toma o primeiro gole do vinho e abraça Perpétua.

HORÁCIO: – Desculpa se eu não fui um bom marido, desculpa se algum  dia desconfiei de você, Perpétua. Apesar desse seu jeito, eu a amo muito. – Diz, sorridente.

PERPÉTUA: – Eu também amo você, Horácio. – Mente.

Os dois se beijam de maneira intensa, mas Horácio se afasta ao sentir uma forte tontura, ele começa a ver tudo embaçado e olha para Perpétua que sorri, um sorriso farto.

HORÁCIO: – Você… o vinho… envenenou o vinho. – Diz sentido a língua ficar dormente.

PERPÉTUA: – Boa sorte no inferno, infeliz! – Grita antes de gargalhar.

Horácio coloca a mão no peito e cai em cima do tapete, seus olhos se fecham lentamente depois da última pontada no peito. Perpétua se serve de mais um pouco de vinho enquanto observa.

Fim do Flashback 


2017

CENA 4: Fazenda Serrado, Exterior, Tarde 

Perpétua segue tentando atravessar o rio, sua mente perturbada a faz crer que Horácio, a mãe e o irmão estão do outro lado do rio lhe chamando. De repente, ela não consegue mais sentir o fundo do rio e submerge com toda força, tenta retornar a superfície, mas não consegue, é arrastada pela correnteza. Perpétua desaparece nas águas.

Um policial junto de Damião chega tarde, mas veem o corpo desaparecendo nas águas. O policial retira o celular do bolso.

POLICIAL (Ao Celular): – Façam buscas no rio, façam buscas no rio.– Diz e já encerra a ligação.

DAMIÃO: – Ela se matou?

POLICIAL: – Parece que sim. Não há mais nada a ser feito aqui.


CENA 5: Fazenda Serrado, Jardim, Exterior, Tarde

Os convidados já dispersaram, junto de Samira está somente Laura e Frederico, que estão angustiados a espera de socorro.

SAMIRA: – Tudo isso é inútil, Laura, Frederico. Eu já sinto minha alma se desprendendo do meu corpo.

FREDERICO: – O socorro vai chegar logo e você ficará bem, Samira, acredite!

Samira sorri, conformada. Ela luta para manter os olhos abertos.

SAMIRA: – Eu preciso morrer longe daqui, longe. – Diz enquanto fecha os olhos por alguns segundos.

Rubens se aproxima para falar sobre a ambulância, Frederico e Laura se distraem e quando voltam a olhar para onde Samira estava, não a veem mais, eles ficam incrédulos.

LAURA: – O que houve aqui? – Ela se pergunta com os olhos a correrem por todo o Jardim. – Ela estava aqui, estava bem aqui, Frederico.

FREDERICO: – Ela nos enganou? Foi isso? – Questiona também procurando vestígio de Samira.

Os policiais que estavam dispersos se juntam e começam a fazer buscas pela Fazenda na tentativa de encontrarem Samira, mas nada.


CENA 6: Sonhador, Fazenda Serrado, Fazenda Brilhante, Exterior

Laura fica intrigada com o desaparecimento de Samira, que mesmo ferida parece ter conseguido escapar. Laura fica sabendo do que aconteceu com a mãe e fica abalada. O tempo se fecha e logo uma chuva torrencial se inicia dificultando o trabalho dos bombeiros que buscavam o corpo de Perpétua.


DIAS DEPOIS

CENA 7: Sonhador, Casa de Paco, Sala, Interior, Manhã

Patrícia está com algumas malas nas mãos, ela olha para todos os lados da casa do grande amigo e sorri. A campainha toca, ema deixa as malas e vai atender. Patrícia abre a porta e seu sorriso fica mis intenso.

DAMIÃO: – Está tudo pronto?

PATRÍCIA: – Tudo sim. – Responde se aproximando dele. Damião a beija. 

DAMIÃO: – Vamos até a Fazenda e depois seguimos para o aeroporto. – Diz após o beijo. Ele entra na casa. – Deixa eu lhe ajudar com essas malas que parecem bastante pesadas. – Ele pega as malas de PatríciaOs dois seguem para fora da casa, sorridentes.


CENA 8: Fazenda Serrado, Casa, Varanda, Exterior, Manhã 

Frederico pega Laura nos braços e a beija com muito amor, beijo demorado e com uma gana dos melhores sentimentos.

LAURA: – Você acha que longe daqui a gente vai conseguir se casar?

FREDERICO: – Tenho certeza, mas a gente vai rapidinho e já volta aproveitamos e fechamos um excelente negócio pela venda do frigorífico.

Frederico coloca Laura em pé no chão e olha para Mateus que está parado próximo da porta sorrindo feito bobo.

FREDERICO: – Cadê seu avô, filho?

MATEUS: – Ele disse que já está vindo. – Responde ainda sorridente.

LAURA: – Do que você tanto ri, filho?

MATEUS: – Quando eu crescer quero ter um amor que nem o de vocês, pai, mãe, um amor indomável.

FREDERICO: – Não está no momento de pensar nisso. Mas quando você crescer, tudo acontecerá como deve acontecer. – Frederico se aproxima e abraça o filhoRubens que vem da sala se junta ao abraço, assim como Laura.

A camionete de Olavo para e ele sai correndo do veículo na companhia de Paco e também se junta ao abraço.

OLAVO: – Ainda bem que chegamos em tempo. – Diz envolvido no abraço coletivo.

Damião encosta seu carro próximo da camionete de Olavo, ele sai do veículo junto de Patrícia, que o beija, apaixonada.

LAURA: – É tão bom lhe ver assim, amiga.

PATRÍCIA: – Parece que eu e o Damião nos conhecemos há muito tempo, Laura. Eu deveria ter vindo morar aqui antes, Sonhador é realmente encantador. – Diz, sorridente.


CENA 9: Fazenda Serrado, Campo, Exterior, Tarde

Frederico, Olavo, Paco e Mateus cavalgam pelo campo. Frederico se aproxima com o cavalo próximo do cavalo de Olavo.

FREDERICO: – Sei que parece muito tarde pra eu fazer papel de irmão preocupado, mas tenho que fazer. – Diz, sorridente. – Quando você e o Paco vão se unir?

OLAVO: – A gente já está unido, meu irmão. Esse amor que nasceu entre a gente desde nossa adolescência nos uniu pra sempre. Assim como o seu e da Laura, o nosso também é um amor indomável, que corre livre por aí.

FREDERICO: – Eu fico muito feliz em ver você feliz,  Olavo, de verdade. Não importa o que disserem, o que vale é o amor, meu irmão. – Afirma sorrindo. – Agora, não adianta querer fugir, pois quero vê-lo com uma aliança nesse dedo aí.  Não deixa o meu irmão lhe enrolar, Paco. – Diz ao olhar para Paco.

Frederico cavalga em direção do filho. Paco e Olavo ficam para trás. Paco olha para o céu, ele sorri.

PACO: – Pela primeira vez não estou mais com medo.

OLAVO: – É por eu estar aqui lhe protegendo. Não precisa ter medo de ser quem você é, jamais. – Ele aproxima de Paco e o beija. Os dois dão as mãos. – Eu vou cuidar sempre de você, lobinho.

PACO (Sorrindo): – Esse apelido de infância nunca me caiu tão bem como agora.


CENA 10: Fazenda Serrado, Margem do rio, Exterior, Tarde

Frederico chega devagar próximo da árvore onde Laura está sentada embaixo da sombra. Ele desce do cavalo e o deixa pastando as  gramíneas.

FREDERICO: – Você vem sempre aqui? – Questiona, brincalhão ao se aproximar de sua amada.

LAURA: – Venho sempre para ver o meu grande amor. – Responde entrando na brincadeira.

FREDERICO: – E posso saber quem é esse sortudo?

LAURA: – É você seu bobo. – Afirma com grande felicidade.

Frederico a beija enquanto se senta no chão. Ele faz com que ela se deite ficando com a cabeça em sua coxa, então passa a afagar os cabelos dela.

FREDERICO: – Eu amo muito você, Laura.

LAURA: – Amo você desde o primeiro olhar naquela chuva, amo você de forma indomável.  – Ela diz olhando nos olhos dele.

Eles voltam a se beijar de forma intensa, apaixonante. Frederico para e reinicia o beijo a todo momento, nos entre beijos, trocam juras de amor, palavras de carinho. Frederico se levanta e pega Laura nos braços, ele segue até o cavalo e a coloca em cima, logo se junta a ela e iniciam uma cavalgada pelo campo enquanto o sol começa a se pôr lentamente, no alto de um monte, Mateus, Paco, Olavo e Rubens se juntam a eles.

FIM



20170512_214241

SEGUNDA-FEIRA, DIA 15, ESTREIA O Que o Tempo Levou 

Anúncios

5 comentários sobre “Amor Indomável: Último Capítulo  (25)

  1. **Penúltimo Capítulo**

    Bom, Perpétua tacou fogo na casa de Fred. Uma louca! Só achei que faltou mais do Fred e Laura em cena vendo a destruição. Já imaginava que Olavo e Fred eram irmãos. Lindos! O casamento de meu casal se inicia, mas espera aí… Não acreditooooo! 😮 Perpétua tava lá e atirou em alguém. Em quem pegou? Loucaaaaaa!

    ________________________________

    **Último Capítulo** 😭

    Samira apareceu na hora. 😮 SOS! E depois fugiu sem rumo. O que aconteceu com ela, gente? Será uma lenda? Perpétua morreu de forma bem impressionante e inacreditável. Ficou louca, simplesmente. Paco e Olavo, assim como Patrícia e Damião selarão seu amor. ❤ E meu casal favorito teve um final feliz. Fred e Laura mostrou que o sentimento que um sente pelo outro pode superar tudo sem se desgastar. Pena que acabou. 😭 ❤ AHHHHHHH

    Ai, amigo, acabou mais uma trama espetacular sua. Creio eu que “Amor Indomável” te amadureceu em todos os quesitos. Uma trama tão maravilhosa e a considero a melhor de sua autoria. Não fui um leitor fiel, mas consegui acompanhar a maioria dos capítulos e por isso digo. Parabéns e que venha seu novo folhetim que aparenta ser um luxo. ❤ Agora vou chorar um pouco por causa do fim do novelão. 😭

    1. Revelação: essa trama tinha um Q de realismo fantástico, migo 😀 então Perpétua era uma ‘cobrinha’ de verdade e Paco era o lobisomem 😜
      É, Perpétua super enlouqueceu, bom, esse foi o fim alternativo, pois existia um bem pior, esse foi mansinho 😁
      Obrigado de verdade, Fred ❤ você é assíduo sim, meu amigo, agradeço muito por isso, e de verdade, amadureci um bocadinho 😀 agora, espero você na estreia de O Que o Tempo Levou 😊😘

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s