Amor Indomável: Penúltimo Capítulo (24)


20170325_185603



2017, Centro-oeste do Brasil 

CENA 1: Sonhador, Casa de Frederico, Exterior, Manhã

Perpétua sai da casa, quando chega próximo do portão, ela vira e sorri enquanto observa a fumaça na casa, logo ela segue seu caminho. As empregadas saem correndo da casa em chamas sem entender direito como isso foi acontecer.

EMPREGADA 1: – Ligue para os bombeiros que eu ligo para o patrão.

EMPREGADA 2: – Sim, faça isso… eu ainda estou em choque, amiga.

Elas fazem suas respectivas ligações.


CENA 2: Fazenda Serrado, Casa, Varanda, Exterior, Manhã

Frederico desce do cavalo e ajuda Laura a descer do seu também, os dois se olham com muita cumplicidade e amor. Um dos empregados da vem buscar os cavalos enquanto Frederico observa a camionete de Olavo chegar.

FREDERICO: – Ele veio.

LAURA: – Você parece nervoso com isso. – Diz olhando nos olhos do amado.

FREDERICO: – Não tem como não estar, meu amor.

Olavo sai de dentro do veículo, logo a outra porta se abre e Paco também deixa o veículo. Olavo se aproxima de Frederico, todos se cumprimentam e seguem para a varanda da casa que fica com uma grande parte de frente para o Jardim.


CENA 3: Sonhador, Casa de Paco, Quarto, Interior, Manhã 

Damião desperta e não encontra Patrícia na cama, ele se levanta um pouco e a vê próxima da janela, pensativa. Vestido apenas com uma cueca, Damião se aproxima de Patrícia.

DAMIÃO: – Se você quiser que ninguém saiba do que aconteceu, eu vou entender, Patrícia.

Patrícia se vira e olha para Damião, que toca seu rosto com carinho.

PATRÍCIA: – Eu não quero isso… foi bom demais o que aconteceu aqui. Sei que parece ser muito rápido, mas eu não me importo de ter você aqui comigo. Desde aquele abraço que você me deu, eu só penso em você.

DAMIÃO: – Você também não sai da minha cabeça. Quero a cada dia estar bem próximo de você. – Diz ao se aproximar um pouco mais. – Não vamos rotular o que sentimos, nos faz bem e isso é o que importa. – Conclui com um leve sorrisoEle a beija intensamente.


CENA 4: Fazenda Serrado, Casa, Cozinha, Interior, Manhã 

Rubens havia passado a noite na Fazenda. Ele está tomando um café quando seu celular começa a tocar de forma insistente. Rubens deixa a xícara de café em cima da mesa e pega o celular do bolso. A ligação se inicia e Rubens fica a saber de tudo o que se passou, fica boquiaberto quando se encerra a chamada.

RUBENS: – Então ela fugiu da cadeia. – Diz enquanto volta seu olhar para fora da casa. – Solta, ela pode ser capaz de tudo. Vou tentar resolver isso  eu mesmo. – Afirma, decidido.


CENA 5: Fazenda Serrado, Casa, Varanda, Exterior, Manhã

Frederico e Laura estão sentados um do lado do outro, assim como Paco  e Olavo, que por sua vez está com o resultado do exame de DNA em mãos.

OLAVO: – Eu confesso que fiquei tentado em abrir esse exame, mas consegui esperar até hoje… apesar de eu saber o que ele vai dizer aqui.

FREDERICO: – Eu não ia me chatear se você o tivesse aberto, Olavo.

OLAVO: – Mas acredito que seria um desrespeito, então por isso vim. Abra! – Diz enquanto entrega o envelope nas mãos de Frederico.

Frederico começa a abrir o envelope, suas mãos estão um pouco trêmulas enquanto faz isso. Ele retira os papéis com o resultado do exame e começa a ler. Frederico levanta o olhar por alguns segundos, Olavo o encara com certa apreensão.

FREDERICO: – Você. – Ele titubeia um pouco. – Você é meu irmão mesmo… somos irmãos.

OLAVO: – Eu não tinha dúvidas. – Diz ao se levantar e seguir para perto de Frederico. – Me dá aqui um abraço. – Pede, sorridente.

Frederico se levanta e sem cerimônia abraça Olavo, seu irmão.

FREDERICO: – Desculpa ter duvidado, Olavo… é que tudo era muito surpreendente pra mim.

OLAVO: – Não se desculpe pelo que já passou, e você estava  no seu direito. O que importa agora é o futuro e eu quero reparar da melhor forma possível tudo isso que você não teve durante tanto tempo… e de quebra terei um irmão incrível. – Diz, compreensível.

Todos sorriem enquanto se olham com emoção. Frederico enxuga algumas lágrimas rebeldes e depois volta a abraçar Olavo.


SEMANAS DEPOIS 

CENA 6: Fazenda Serrado, Campo, Exterior, Manhã 

Frederico cavalga pelo campo ao lado do filho, Mateus, que por sua vez também se mostra um ótimo montador. O garoto sorri, se mostra bastante feliz.

FREDERICO: – Agora temos de voltar para casa, filho. O pai aqui tem que se arrumar.

MATEUS: – Está bem, pai, mas depois a gente vai andar mais por aí,  combinado?

FREDERICO: – Combinado e quero ver você ganhar de mim novamente na corrida. – Diz antes de descer do cavaloMateus faz o mesmo que o pai, que passa a mão no cabelo, bagunçando.Frederico corre enquanto Mateus corre atrás, os dois  entram na casa.


CENA 7: Fazenda Serrado, Casa, Quarto de hóspedes, Interior, Manhã 

Patrícia arruma o cabelo de Laura, que está sentada em uma cadeira de frente ao espelho.

PATRÍCIA: – Você está muito nervosa, Laura, tente se acalmar. – Diz, sorrindo.

LAURA: – É o dia mais especial de minha vida, minha amiga. Isso aqui era para ter acontecido há muito tempo atrás, mas só agora temos essa chance.

PATRÍCIA: – Você vai ser mais feliz do que já é, amiga, não tenha dúvidas e vai poder recuperar cada segundo do tempo perdido, tenha certeza.

LAURA: – Você é a irmã que eu não tive, Patrícia. – Afirma, emocionada. – E agora estou nas mãos da melhor maquiadora e cabeleireira desse mundo.

PATRÍCIA: – Logo logo você estará pronta, prometo.

As duas sorriem. Patrícia segue arrumando o cabelo de Laura.


CENA 8: Fazenda Serrado, Casa, Cozinha, Interior, Manhã 

Mateus pede a bênção do avô e segue para a sala enquanto Frederico pára ao lado de Rubens.

FREDERICO: – Já tem alguma notícia daquela maluca, melhor, duas malucas, senhor Rubens?

RUBENS: – Infelizmente não, Frederico, mas não se preocupe, pois contratei alguns segurança, e a Polícia de Sonhador também está lá fora fazendo a segurança.

FREDERICO: – Onde será que se enfiaram essas duas? Ninguém some do nada assim. Deus queira que a polícia as peguem logo.

RUBENS: – Vamos torcer pra isso. Agora vai se arrumar, pois você não quer chegar depois da noiva, não é mesmo? – Indaga quebrando a tensão. 

FREDERICO: – A Laura ficaria uma fera. – Diz, sorrindo.


CENA 9: Fazenda Serrado, Exterior, Manhã 

Paco está na companhia de Olavo, eles percorrem o Jardim que fica em frente a casa, conversam sobre tudo e sorriem. Paco cessa o seu sorriso rapidamente deixando Olavo com certa preocupação.

PACO: – Você está sentindo isso? – Questiona enquanto olha para todos os lados deixando Olavo um tanto confuso.

OLAVO: – Sentindo, sentindo… sentindo o que?

PACO: – Eu não sei bem o que é… é coisa minha.

OLAVO: – Você sempre faz isso quando algo vai acontecer. Se você sentir qualquer coisa, me diga, pois vou estar  aqui. – Diz enquanto o abraça.

Paco olha por cima do ombro de Olavo e tem a impressão de ter visto alguém correndo para dentro da mata,  que fica uma boa distância da Fazenda. Ele fica intrigado.

Horas Depois

As horas passam e logo se vê o fim da manhã se aproximar. Uma van com o funcionários que trabalharão no casamento, chega. Garçons e garçonetes já chegam bem vestidos e prontos para o trabalho. Eles entram na cozinha e são direcionados às suas funções. Uma garçonete caminha por entre as mesas, os cabelos estão bem  amarrados, ela serve os convidados e não é reconhecida, assim que retorna para a cozinha, ela segue direto para perto de sua bolsa de onde  retira uma pistola, a garçonete se revela Perpétua.

PERPÉTUA: – Ai como sou boa em disfarces. – Afirma sorridente passando a mão pela pistola. – Maldito Frederico, deveria ter morrido naquele acidente, deveria sim, pois assim nada disso teria acontecido e tudo estaria bem, tudo terminaria bem, mas agora é tarde demais.


CENA 10: Fazenda Serrado, Jardim, Exterior, Tarde 

Algumas nuvens encobrem o céu, a temperatura é agradável. Os convidados, amigos e funcionários, estão sentados a mesa bem dispostas pelo gramado do belíssimo Jardim. Frederico está no altar, ao seu lado, Damião e Patrícia, Paco e Olavo. Ele está nervoso, não vê o momento de olhar para Laura vestida de noiva.

OLAVO: – Ela já vai vir, não tenha um troço, irmão. – Diz ao se aproximar um pouco de Frederico.

PACO: – Todo mundo fica nervoso, é normal. Ela já vai chegar.

FREDERICO: – Obrigado. – Agradece antes de sorrir, tenta disfarçar o nervosismo.

PATRÍCIA: – Ela está belíssima, Frederico.

FREDERICO: – Mais bela do que é, não vou aguentar.

Quando Frederico termina de falar, a porta da casa se abre, ele vê Mateus vindo na frente, sorridente enquanto joga algumas pétalas de rosas pelo caminho. Logo atrás vem Laura acompanhada de seu avô. Laura vem devagar, ela sorri assim que vê Frederico, que por sua vez tenta conter a emoção. Frederico de repente arregala os olhos, parece levar um susto. Mais atrás de Laura e Rubens está Perpétua com a pistola em punho. Frederico sai do altar e corre na tentativa de salvar Laura, que se vira e vê sua mãe com sangue nos olhos.

PERPÉTUA: – Acabou! – Diz antes de puxar o gatilhoO tiro é disparado.

CONTINUA


Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s