Amor Indomável: Últimos Capítulos (21)


20170325_185603



2017, Centro-oeste do Brasil 

CENA 1: Sítio Dois Caminhos, Casa, Interior, Noite

Samira olha para o corpo de Frederico, incrédula. Ela olha com muita raiva para Perpétua, que está distraída.

SAMIRA: – Isso não estava nos nossos planos sua louca. Você o matou, o matou! – Grita, enraivecida.

PERPÉTUA: – Ele não me deu escolha e para de choro, pois você só está assim pelo fato de ser o Frederico, e agora ele já foi tarde. – Diz com muita frieza.

SAMIRA: – Desgraçada! – Ela grita enquanto avança em cima de Perpétua e começa a desferir tabefes no rosto dela. Perpétua cai em cima do sofá enquanto Samira continua com a surra. Perpétua deixa a arma cair.

Frederico abre os olhos e começa a se arrastar para fora da casa em busca de uma saída, o braço no qual levou o tiro ainda dói muito e sangra.

PERPÉTUA: – Eu vou lhe matar sua cobra, traidora, infeliz! – Ela ameaça depois de se livrar de Samira e correr em direção a arma, mas um pé é posto em cima dela quando chega perto. Perpétua levanta a cabeça e vê sua filha em sua frente.

LAURA: – Eu disse para não mexer com meu filho!


CENA 2: Sonhador, Zona Rural, Estrada,  Noite

Mateus corre sem olhar para trás, mas já cansado, para e se preocupa com o pai, ele vê que está no meio da estrada.

MATEUS: – Eu não devia ter deixado meu pai lá… não. – Ele chora enquanto pensa em retornar.

Mateus vê uma forte luz se aproximar, então ele arregala os olhos e o carro para próximo dele. Olavo sai do veículo e se espanta ao ver que é Mateus.

OLAVO: – Mateus?! Você está bem?

Mateus respira um pouco mais aliviado ao ver Olavo na sua frente, mas ainda pensa na situação difícil do pai.

MATEUS: – Meu pai me salvou, mas assim que eu saí de lá ouvi um tiro e estou com medo.

Olavo abraça Mateus.

OLAVO: – Fique calmo, a polícia já foi avisada Mateus e não vai acontecer nada com seu pai. – Ele tenta acalmar o garoto, que chora com medo das possiblidades.


CENA 3: Fazenda Serrado, Casa, Varanda, Exterior, Noite

Patrícia está muito preocupada, assim como Rubens que a todo momento olha para o celular. Damião se aproxima de Patrícia e tenta fazer algo para melhorar seu estado.

DAMIÃO: – Senhorita, vai ficar tudo bem, acredite! Deus está olhando por eles e não vai deixar que algo ruim aconteça.

PATRÍCIA: – A Laura saiu daqui transtornada e eu sei como minha amiga é quando mexem com com quem ela gosta e ainda mais sabendo que foi a própria mãe. Que Deus permita que tudo fique bem. – Desabafa enquanto olha para Damião, que por sua vez é pego de surpresa por um abraço. Ela chora em seu ombro.


CENA 4: Sítio Dois Caminhos, Casa, Interior, Noite

Laura olha para a mãe com muita raiva, o seu pensamento é tomado por lembranças e fatos. Laura afasta a arma com o pé para próximo da porta. Ela levanta o olhar e vê Samira, sua prima.

LAURA: – Até você, Samira! Onde você esteve esse tempo todo? – Questiona enquanto Samira a olha. – Não precisa dizer, pois parece que você esteve na escola de crime da minha… dessa mulher desprezível. – Diz enquanto volta seu olhar para Perpétua, que se levanta sob a permissão de Laura. – Eu nunca pensei que teria nojo da senhora, mas agora eu tenho e não é pequeno. – Diz antes de esbofetear o rosto da mãe que perde o equilíbrio e cai. – Onde está o meu filho sua velha maldita? – Pergunta com muita raiva.

SAMIRA: – Ele não está mais aqui, Laura. Ele fugiu com a ajuda do Frederico, que também deve estar por aí.

Laura olha para Samira e parece analisar a prima. Perpétua se apoia no sofá e se levanta tentando partir para cima da filha, que desfere mais um tapa na face dela.

LAURA: – Isso é pouco para o que você merece, mamãe. Você manipulou tudo e todos por muito tempo, e não foi só isso, não é mesmo? Para piorar, a senhora cometeu um monte de assassinato, entre eles, o do meu pai… tudo por dinheiro, tudo por uma coisa que sempre  esteve ao seu alcance, mas que a senhora queria muito mais. – Diz enquanto caminha até a porta, ela se abaixa e pega a arma nas mãos.  – Eu deveria matá-la. – Ameaça ao se voltar para as duas. – Mas isso só iria prejudicar a minha vida e a dos outros. Não sou igual a senhora, mas infelizmente carrego esse mesmo sangue. Fiquem aí, pois logo o destino de vocês duas vão chegar. – Ela aponta a arma e se afasta para fora da casa.

Já é possível ouvir a sirene da polícia.


CENA 5: Sítio Dois Caminhos, Exterior, Noite

Laura chama por Mateus enquanto olha para todos os lados até que ouve a voz de Frederico, que está encostado em uma árvore com certa dor depois do tiro que levou. Ao vê-lo nesse estado, Laura corre até ele, preocupada.

LAURA: – Frederico! Frederico!!! – Ela se aproxima e segura a mão dele.

FREDERICO: – O Mateus conseguiu fugir,  meu amor…

LAURA: – Você levou um tiro? – Pergunta enquanto vê a parte detrás da camisa ensanguentada.

FREDERICO: – Eu vou ficar bem, prometo. – Afirma enquanto tenta esboçar um leve sorriso. – Fica aqui comigo. – Pede enquanto olha de relance para a estrada. – A Polícia já está chegando.

O aperto de mão se intensifica, os dois se olham, ela preocupada, e ele de forma cansada como se estivesse a perder as forças. Laura retira o celular do bolso da calça e aciona o socorro, ela continua a segurar na mão de seu amado.

A polícia logo chega e invade a casa, a busca se faz minuciosa. A camionete de Olavo chega em seguida e ele sai correndo do carro e abraça os pais.


CENA 6: Sítio Dois Caminhos, Mata, Exterior, Noite

Perpétua e Samira correm por entre as árvores tentando fugir da polícia, elas param próximo de um grande pé de manga.

PERPÉTUA: – Eu ainda vou matar você. Por causa de você é que estou nessa agora. Eu, uma mulher distinta tendo que fugir da polícia.

SAMIRA: – Culpa minha? Culpa minha? Me poupe tia, quem tem vontade de mandar a senhora pra outro mundo sou eu. Cedo ou tarde a senhora iria pra cadeia mesmo. – Diz abrindo um sorriso. – Mas a senhora irá sozinha, ouviu?

PERPÉTUA: – O que você está dizendo?

SAMIRA: – Já disse! – Ela grita enquanto se afasta para dentro de um lugar onde o mato é mais denso.

PERPÉTUA: – Cobra desgraçada! Cobra! – Grita, enraivecida ao ver a transformação de Samira.

Um foco de luz atinge o rosto de Perpétua que arregala os olhos.

POLICIAL: – A senhora está presa!


CENA 7: Fazenda Serrado, Casa, Sala, Interior, Manhã 

Laura olha pela janela enquanto Patrícia vem da cozinha com uma xícara contendo chá. Ela para ao lado de Laura.

PATRÍCIA: – Agora tudo acabou, minha amiga.

LAURA: – Minha mãe ficou totalmente louca, Patrícia. Ela gritava enquanto era colocada no carro da polícia que a Perpétua era uma cobra, que se transformava em uma cobra.

PATRÍCIA: – Meu Deus! Ela ficou totalmente biruta, Laura.

LAURA: – Eu acho que ela nunca foi uma pessoa normal… quero ela bem longe de mim, da minha família.

PATRÍCIA: – Falando em família, você está arrumada desse jeito para ir ao hospital? – Questiona mudando de assunto.

LAURA: – Sim,  estou com uma saudade enorme do Frederico, mesmo que não tenhamos ficado um dia sequer separados.

PATRÍCIA: – Isso é amor, minha amiga… isso é amor indomável. – Ela  esboça um sorriso.


CENA 8: Sonhador, Hospital, Quarto, Interior, Manhã

Frederico abre os olhos depois de uma longa noite de sono e se depara com Olavo ao seu lado. Olavo fica animado ao ver Frederico acordado.

FREDERICO: – Você passou a noite aqui?

OLAVO: – Sim, era o mínimo que eu poderia fazer, Frederico. A noite ontem foi agitada, o dia inteiro na verdade. Como você se sente?

FREDERICO: – Estou melhor, ainda com um certo incômodo no braço, mas estou melhor do que antes. A polícia prendeu a Perpétua e a Samira?

OLAVO: – Somente a Perpétua, que parece não estar bem das ideias, pois saiu gritando que Samira havia se transformado em uma serpente para fugir.

FREDERICO: – Se isso fosse verdade, eu saberia, pois convivi com ela durante esse tempo. – Revela. – Então a Perpétua enlouqueceu mesmo.

OLAVO: – Você teve um relacionamento com a Samira, Frederico? – Questiona um pouco impressionado.

FREDERICO: – Não, apesar de ela sempre ter insistido nisso, mas eu jamais toquei nela, jamais dei esperança. Agora vejo que ela também pode está envolvida no plano que me separou da Laura.

OLAVO: – Isso você pode ter certeza que sim, pois a Samira nunca foi flor que se cheira.

FREDERICO: – Eu só quero essas duas bem longe da ,minha família, bem longe de todos nós.

Olavo consente com a cabeça.


CENA 9: Sonhador, Delegacia, Cela, Interior, Manhã 

Perpétua olha para todos os lados dentro da cela em que está sozinha, seus cabelos estão desgrenhados, sua roupa com muita poeira. Ela caminha até próximo das barras de ferro da grade e as segura.

PERPÉTUA: – Eu não sou louca e vou sair daqui. Eu vou sair daqui e aí sim todos vão ver do que sou capaz. – Afirma esboçando um sorriso diabólico.

CONTINUA


Anúncios

2 comentários sobre “Amor Indomável: Últimos Capítulos (21)

  1. SOCORRO COM A LOUCA DA PERPÉTUA 😮 ACABOU, QUERIDA, ACABOU!!!! Só falta Samira agora. Se essa vadia tentar se vingar de meu casal, eu entro na web e a ataco. Fred e Laura são um shippe perfecto ❤ Agora vamos ver como a louca vai agir dentro da cela. Eu curto e compartilho. Parabéns, amigo! ❤

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s