Amor Indomável: Capítulo 16


20170325_185603



2017, Centro-oeste do Brasil

CENA 1: Fazenda Brilhante, Casa, Sala, Interior, Noite

Olavo continua a olhar para Frederico como se o conhecesse de algum lugar, ele força a memória e entende que não o conhece, mas conviveu por muito tempo com alguém muito parecido. Laura espera uma resposta para o seu questionamento.

OLAVO: – Eu já volto! – Diz enquanto volta a subir pela escada.

LAURA: – Tudo bem, eu acho. – Ela volta seu olhar para Frederico, que por sua vez não entende bullhufas do que acontece.

FREDERICO: – O que houve aqui? – Questiona arqueando levemente uma de suas sobrancelhas.

LAURA: – Também estou um tanto surpresa, Frederico.
Não demora muito e logo Olavo retorna com um porta retrato em suas mãos, ele pára de frente para Frederico, que o encara tentando entender o que deve significar tudo aquilo.

OLAVO: – No momento em que lhe vi, Não sabia direito explicar de onde lhe conhecia, mas constatei que não lhe conhecia realmente, mas sim era lembranças de uma pessoa muito próxima a mim. – Diz ao estender o porta retrato para que Frederico pegue. – Esse da foto é meu pai, Frederico.

Frederico olha para a foto que está em suas mãos, até mesmo se assusta com tamanha semelhança. O homem da foto, pai de Olavo parece ser Frederico um pouco mais velho.

FREDERICO: – Eu me pareço com ele. – Ele levanta o olhar rapidamente, Laura o olha sem entender. – Como é possível algo assim? – Questiona enquanto volta a olhar para a foto, confuso.
Olavo caminha até Frederico e olha como se tivesse algo para contar.

OLAVO: – Meu pai nunca contou essa história para ninguém, nem eu mesmo sabia até um pouco depois da morte dele. Ele guardava em um fundo falso de uma das gavetas do roupeiro, um caderno com várias anotações, anotações essas que eram parecidos com desabafos, e em um desses desabafos, ele contou que minha ele tivera um filho fora do casamento, e com medo do que pudesse acontecer caso minha mãe descobrisse, rejeitou a criança. – Ele conta visivelmente emocionado. – O meu pai não era uma boa pessoa e fez de tudo para que sua mãe se mantivesse longe dele. – conclui.

Frederico olha para Olavo com algumas lágrimas nos olhos, ele as seca, olha para Laura, dá meia volta e sai da casa com a foto do verdadeiro pai nas mãos. Laura olha para Olavo.

OLAVO: – Desculpa, Laura, essa história já remoia muito dentro de mim, e quando o vi, também soube que era ele. O Frederico é igual ao meu pai quando mais jovem.

LAURA: – Você fez o que achou certo, Olavo, não há como recriminar isso. Eu vou tentar falar com ele. – Diz tentando tranquilizar Olavo.


CENA 2: Sonhador, Casa de Perpétua, Interior, Noite

Samira entra e olha para todos os lados da sala da casa na qual Perpétua foi parar, ela esboça um leve sorriso.

SAMIRA: – Que lugarzinho hein, tia! A senhora está mesmo no fundo do poço.

PERPÉTUA: – Cala a boca e diga logo o que você tem em mente pra que eu possa sair dessa situação degradante.

SAMIRA: – Dizem que a cadeia é muito pior, tia. A senhora não ficou nem um dia sequer aqui ainda para poder reclamar.

PERPÉTUA: – Um dia é o máximo de tempo que eu quero passar nesse lugar, sua tola. Vamo, diz logo o seu plano, pois eu não consegui pensar em muita coisa boa.

SAMIRA: – Tenho certeza que a senhora vai adorar o que vou dizer, o meu plano é algo infalível.

Perpétua e Samira sorriem, a maldade está presente em cada palavra que começa a ser pronunciada.


CENA 3: Fazenda Brilhante, Exterior, Noite

Olavo, se sentindo culpado por ter contado tudo logo na primeira vez que viu Frederico, se aproxima dele, que está parado olhando para a lua. Laura está encostada em uma pilastra da varanda observando tudo.

OLAVO: – Eu poderia ter esperado mais para contar, mas já estava com isso, de certa forma, atravessado na garganta, e quando o vi, tive certeza que era você.

FREDERICO: – Mas e se essa criança não for eu? – Questiona alternando seu olhar ora para o porta retrato, ora para Olavo.

OLAVO: – Não sei como, mas eu tenho certeza de que é você. Se quiser, amanhã mesmo poderemos fazer o exame pra não restar nenhuma dúvida.

FREDERICO: – Então amanhã faremos isso, Olavo. E me desculpe pela reação lá dentro, é por eu não estar esperando algo desse tipo, fui realmente pego de surpresa com tudo isso.
Mateus aparece na porta e fica ao lado da mãe, que passa a mão em seus cabelos.

MATEUS: – Eles estão brigando, mãe?

LAURA: – Não, Mateus. Eles estão apenas conversando.

MATEUS: – A gente ainda vai lá pra Serrado?

LAURA: – Acredito que sim.

Sob o olhar de Mateus e Laura, Frederico e Olavo dão um caloroso abraço.


CENA 4: Sonhador, Casa de Perpétua, Sala, Interior, Noite

Samira olha para a tia com certa apreensão após ter contado sobre o plano que tem em mente. Perpétua, que no meio da conversa se sentou na velha cadeira de madeira, agora se levanta, seu olhar é algo indecifrável.

PERPÉTUA: – Se isso não der certo, poderemos as duas pegar longos anos em uma penitenciária.

SAMIRA: – Mas vai dar certo e a gente vai conseguir dar a volta por cima. Vamos lá, a senhora já fez coisas muito pior e ninguém da justiça descobriu.

PERPÉTUA: – Eu não disse que não aceitaria, Samira. Quando começamos? – Questiona com um sorriso diabólico.


CENA 5: Sonhador, Casa de Paco, Quarto/Corredor, Interior, Noite

Paco olha para a grande lua que se faz presente no céu, ele está parado próximo da janela, os braços começam a coçar de forma perturbadora.

PACO: – Será que ele vai demorar para vir? – Ele se pergunta enquanto se afasta da janela.

A calmaria que apazigua o local tem fim. Paco, impaciente e movido por algo muito maior do que ele, começa a jogar todas as coisas no chão, com muita força, arremessa poltrona contra a parede, assim como uma pequena mesa. Patrícia ouve o barulho e se aproxima da porta do quarto de Paco.

PATRÍCIA (Do outro lado da porta): – O que está acontecendo aí, Paco?

Patrícia não obtêm nenhuma resposta, mas continua a ouvir coisas sendo quebradas. De repente ela se afasta da porta ao ouvir um som parecido com rosnado de cão. Passos são ouvidos no corredor, ela olha e vê Olavo.

OLAVO: – O que houve, Patrícia?

PATRÍCIA: – Eu também não sei, Olavo. De repente comecei a ouvir coisas quebrando e vim ver o que era, mas ele não responde e nem abre a porta.

OLAVO: – Aconteceu de novo! – Diz extremamente preocupado.


CENA 6: Fazenda Serrado, Casa, Varanda, Exterior, Noite

O carro de Frederico estaciona próximo da varanda. Mateus sai primeiro do veículo, logo Laura e Frederico também saem. Laura observa um outro carro parado um pouco mais distante, ela olha para seu Amado e tenta entender o que se passa.

LAURA: – Quem está aqui, Frederico? – Questiona, apreensiva.

FREDERICO: – Uma pessoa que você nunca sequer conheceu, que sua mãe fez questão de esconder de você, meu amor. – Responde ao se aproximar dela e de Mateus. Rubens vem da parte de trás da casa, usa uma bengala para lhe dar mais firmeza. – Ele é seu avô, Laura. O homem que me ajudou durante todo esse tempo. – Frederico revela.

CONTINUA


Anúncios

5 comentários sobre “Amor Indomável: Capítulo 16

  1. Ai, Frederico… 😭😭😭 Não me emociona não. As cenas de Amor Indomável são tão sinceras e verdadeiras que emocionam. Perpétua e Samira se unindo cada vez mais. O bom é que se uma cobra cair, a outra cai junto. E Laura vai reencontrar o seu avô. Ai gente… 😭

    Parabéns, amigoooo! ❤

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s