Amor Indomável: Capítulo 14


20170325_185603



2017, Centro-oeste do Brasil 

CENA 1: Fazenda Serrado, Exterior, Manhã 

Perpétua segura o papel dado pelo oficial, ela alterna seu olhar para o papel e também para o oficial.

PERPÉTUA: – Deve ser uma brincadeira de muito mal gosto isso aqui. – Diz já em um tom levemente alterado.

HOMEM: – Não estou aqui para brincadeira, senhora. A senhora precisa sair imediatamente dessa Fazenda, caso contrário terei que usar a força policial.

Perpétua arregala os olhos ao perceber a aproximação de alguns policiais.

PERPÉTUA: – Eu não vou sair daqui, não vou, isso tudo aqui era do meu falecido marido, logo também é meu. – Diz revoltada enquanto observa um carro se aproximar em alta velocidade. Rubens sai do carro com um leve sorriso.

RUBENS (Para o Oficial): – Ela está dificultando as coisas, meu amigo? – Questiona enquanto se aproxima.

O oficial de justiça olha para Rubens e balança a cabeça de forma positiva.

PERPÉTUA: – Que tipo de bruxaria o senhor fez?

RUBENS: – Já ouviu falar naquele ditado em que diz que colhemos o que plantamos, Perpétua? É isso que está acontecendo aqui.

PERPÉTUA: – Isso não ficará assim, seu velho infeliz.

RUBENS: – Cala a boca e saía de uma vez dessa casa, dessa Fazenda que nunca foi sua. Você se lembra do testamento que o Horácio fez onde deixava tudo para o Frederico e para a Laura, minha  neta? Você achou  que ia se dar bem para sempre, mas está na hora de acordar.


CENA 2: Fazenda Brilhante, Casa, Varanda, Exterior, Manhã 

Frederico olha para Laura com muito amor, estão um de frente para o outro.

FREDERICO: – Eu tenho que agradecer também ao Olavo que criou tão bem meu filho, nosso filho. – Diz, sorridente. – Eu só quero poder recuperar esse tempo perdido com o Mateus, pois já é um tempo grande.

LAURA: – Você vai recuperar, meu amor, tenho certeza, pois temos todo o tempo do mundo e agora com você por perto tudo será mais fácil.

Frederico concorda e abraça Laura.

FREDERICO: – Agora eu tenho muito mais motivos para querer aquilo que nos foi adiado por tanto tempo.

LAURA: – É o que eu estou imaginando?

FREDERICO: – E o que você está imaginando, meu amor?

LAURA: – O nosso casamento.

FREDERICO: – Eu não tenho nenhuma dúvida do que eu quero, do que estou disposto a recuperar com você ao meu lado como sempre sonhei. – Afirma antes de beijá-la de forma intensa.


CENA 3: Sonhador, Casa de Paco, Sala, Interior, Manhã 

Paco e Olavo estão sentados no sofá, bem próximo um do outro. Olavo segura a mão de Paco, que por sua vez olha para ele.

OLAVO: – Eu enfrentarei o mundo por nós. – Afirma decidido.

PACO: – Você sabe o que teremos que enfrentar, não é?

OLAVO: – Eu sei e isso realmente não importa, pois agora nada e nem ninguém vai nos separar. Estou ao seu lado para o que der e vier. E quero sua resposta para aquela pergunta de ontem a noite, logo. – Diz com um grande sorriso. Olavo  tenta deixar Paco menos tenso.

PACO: – Tenho medo de tudo isso acabar um dia.

OLAVO: – Só vai acabar quando a gente morrer. – Afirma enquanto aproxima seus lábios dos lábios de Paco. Os dois se beijam com grande emoção.


CENA 4: Fazenda Serrado, Casa, Mata, Interior, Manhã 

Samira entra correndo na casa depois de avistar todo o tumulto na sede da Fazenda, seu coração está acelerado, ela pensa no momento em que viu sua tia saindo com as malas da casa.

SAMIRA: – Não posso continuar aqui, logo o Frederico e a Laura descobrirão que estou aqui. Antes de ir embora tenho que falar com a tia, ela deve já ter algo em mente, pois ela não se deixaria vencer tão fácil.

Samira corre para perto da sua mala que está perto de um pequeno sofá, ela sorri de forma maliciosa.

SAMIRA: – Se o Frederico não tivesse inventado de ajudar esse velho, nesse momento estaria casado comigo. – Diz, pensativa. – Aquela noite eu quase consegui o que eu tanto queria, só de lembrar já sinto um calor. – Divaga, sozinha.

Samira tem o olhar perdido, parece pensar em algo muito importante enquanto pega sua mala.


CENA 5: Fazenda Serrado, Carro, Interior/Exterior, Manhã 

Perpétua está dentro de um carro preto, ela olha com grande ódio para Rubens, que se aproxima dela. Rubens se apoia na porta do carro enquanto Perpétua desvia o olhar.

RUBENS: – Para você não dizer que sou tão ruim quanto você, mandei que preparassem um imóvel a sua altura em um dos melhores bairros de Sonhador. – Diz, ironicamente. – Siga para o local combinado, Damião. – Diz ao motorista.

Perpétua, sentada no banco detrás do carro,  fica apreensiva assim que o veículo começa a seguir. Rubens fica parado observando o veículo se distanciar.

RUBENS: – Agora sim você começará a ter a vida que merece! – Diz enquanto pensa em todo mal que sua filha fez.

CONTINUA


Anúncios

2 comentários sobre “Amor Indomável: Capítulo 14

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s