Amor Indomável: Capítulo 12


20170325_185603



2017, Centro-oeste do Brasil 

CENA 1: Fazenda Brilhante, Casa, Varanda, Exterior

Frederico olha para Laura, que abre um pequeno e tímido sorriso. Ele, muito próximo dela, se lembra dos vários momentos que passaram juntos, dos beijos que um dava no outro, e não contêm seu enorme desejo. Frederico envolve seu braço na cintura de Laura e a beija  de forma intensa.

LAURA: – Frederico! – Diz, impressionada e sem ar após o beijo dado por ele. Laura  abre um grandioso sorriso revelando o seu desejo de ter feito o mesmo.

FREDERICO: – Eu senti muita saudades de você, muita saudades Laura. Eu nunca esqueci do seu sorriso, do seu beijo, de seu toque. – conta enquanto a abraça fortemente.

LAURA: – Eu deveria ter ido atrás de você, Frederico.  Eu deveria ter escutado meu coração, mas fui uma tola.

FREDERICO: – Agora já passou, Laura, é isso que importa e a verdade foi mostrada, antes tarde do que nunca. – Diz tentando deixá-la mais tranquila.

LAURA: – Eu nem acredito que você está aqui, que você está me abraçando. Eu também nunca lhe esqueci, jamais poderia.

Laura intensifica o abraço no seu amado, ela chora de felicidade e por estar aliviada. Frederico afaga os cabelos de Laura, que agora estão mais longos do que há doze anos, ele sente o perfume.

FREDERICO: – Eu nunca mais sairei do seu lado, não importa o que aconteça, Laura. – Afirma antes de beijá-la mais uma vez.


CENA 2: Sonhador, Casa de Paco, Sala, Interior, Tarde

Paco olha para Olavo que nem pensa em se afastar dele, estão muito próximo um do outro. Paco dá um passo para trás, mas Olavo o segura e faz com que ele volte a ficar ‘colado’ nele.

OLAVO: – Nós dois fomos completamente idiotas por não termos vivido esse nosso amor. Não tem nenhum e nem outro que foi mais que o outro, fomos idiotas iguais.

Paco abaixa a cabeça, e concorda silenciosamente com Olavo, que toca seu queixo e o levanta.

PACO: – Eu tive medo de estar estragando sua vida. Eu poderia dizer que meu pai  descobriu tudo sobre nós, o que é verdade, mas isso não é desculpa ou justificativa. Eu tive medo de você não querer o mesmo que eu queria.

Olavo abraça Paco, um abraço apertado e repleto de sentimentos.


CENA 3: Sonhador, Casa de Frederico, Sala, Interior, Tarde

Rubens caminha com algo na mão direita, um papel para ser mais exato, na outra mão há o seu celular, ele disca um número e leva o aparelho ao ouvido.

RUBENS (Ao Celular): – Pode fazer o combinado. Use a força se preciso, meu caro, mas eu quero aquela criminosa longe daquela fazenda.

PESSOA (Do outro lado da linha): – No mais tardar será no final de semana que faremos o que o senhor nos pediu. E ninguém poderá contestar.

RUBENS (Ao Celular): – Muito bom, muito bom e eu com certeza estarei lá para ver tudo isso de perto. Isso é o mínimo que aquela ordinária merece.


CENA 4: Fazenda Serrado, Casa, Sala, Interior, Tarde

Samira desce pela escada com as mesmas malas de quando chegou, ela tenta não fazer barulho, quer sair sorrateiramente. Samira se assusta ao ver Perpétua saindo do escritório.

PERPÉTUA: – Já iria fugir, Samira? Pra onde você vai? Vai para o Frederico, não é? Quero ver o que ele vai achar de você quando souber que sua culpa não é menor do que a minha, minha querida sobrinha.

SAMIRA: – Não me importa, eu vou embora assim mesmo, tia. Eu nem deveria ter vindo.

PERPÉTUA: – Você não vai a lugar algum. – Afirma  ao se aproximar de Samira e a segurar pelo braço.

SAMIRA: – Me solta! – Grita. – A senhora não me conhece, tia, não me conhece.

Perpétua sorri de forma maquiavélica.

PERPÉTUA: – Você acha que eu não sei do seu segredinho, Samira? Eu sei de tudo, absolutamente tudo. – Diz, sorridente. – Na certa você deve estar com saudades de rastejar por aí.

Samira arregala os olhos e fica paralisada diante de Perpétua.

SAMIRA: – A senhora não pode fazer nada contra mim. Se a senhora realmente sabe do meu segredo, então também deve saber  que eu sou mais perigosa do que aparento, então deixa eu ir antes que algo aconteça.

PERPÉTUA: – Eu não tenho medo de você, peçonha! Eu vou deixar você ir, mas tenho certeza que você voltará logo. – Afirma entre sorrisos.


CENA 5: Fazenda Brilhante, Casa, Varanda, Exterior, Tarde

Laura e Frederico estão sentados um próximo do outro, eles se olham constantemente. Frederico coloca sua mão sobre a de Laura, que sorri após esse gesto.

LAURA: – Há outra coisa que eu preciso lhe contar, Frederico. – Diz com certo receio.

Laura se levanta e olha para dentro da casa, logo volta a olhar para Frederico, que fica um pouco apreensivo.

FREDERICO: – O que foi, Laura?

LAURA: – Tenho medo do que você possa achar.

Frederico se aproxima de Laura e dá um sorriso lhe passando confiança.

FREDERICO: – Pode dizer, Laura. Não tenha medo mais, não tenha medo. – Diz, enquanto segura a mão dela.

Laura se sente segura para contar, seus olhos cruzam com o de Frederico, que pensa em mil coisas.

LAURA: – O Mateus é seu filho também, Frederico. – Conta enquanto olha no fundo dos olhos dele.

CONTINUA


Anúncios

2 comentários sobre “Amor Indomável: Capítulo 12

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s