Amor Indomável: Capítulo 5


20170325_185603



Ano de 2005, Centro-oeste do Brasil 

CENA 1: Fazenda Serrado, Casa, Quarto de Perpétua e Horácio, Interior, Tarde 

Perpétua dá por encerrada a ligação, ela coloca o aparelho no devido lugar e segue para perto da janela,  e observa o horizonte chuvoso.

PERPÉTUA: – Agora só falta mais uma coisa, a mais importante. – Diz enquanto abre um sorriso de plena satisfação.  – Não posso de maneira alguma deixar que minha filha tenha uma vida sem luxos, sem privilégios.

Perpétua caminha de volta a porta do quarto, e pára repentinamente ao ter mais uma de suas ideias.

PERPÉTUA: – É claro, ela será muito útil para mim. – Diz voltando a andar. Ela sai do quarto.


CENA 2: Fazenda Brilhante, Exterior, Tarde

Olavo está em cima de um cavalo, ele se encontra visivelmente alterado, muito enraivecido pela ameaça que acabou de sofrer por parte de Perpétua.

OLAVO: – Aquela infeliz me tem nas mãos, estou com elas atadas. – Afirma enquanto se lembra das últimas cartas da Pessoa amada. – Como pude dizer que você tem medo quando na verdade eu também sou medroso. Não posso enfrentar ela de igual para igual quando ela tem em mãos algo que pode acabar comigo para sempre, queria ter fugido com você. – Diz, entristecido.

Olavo começa a galopar cada vez mais rápido, quer pelo menos por pequenos segundos, esquecer de tudo o que está vivendo, um enorme pesadelo.


CENA 3: Fazenda Serrado 

Horácio recebe um grande comprador de gados e faz um bom negócio, principalmente por Frederico ter encontrado o comprador. Perpétua passa a observar Samira, e fica intrigada com sua sobrinha. Laura está cada vez mais feliz ao lado de Frederico, que por sua vez já tem em mentes planos de um futuro casamento.

DIAS DEPOIS


CENA 4: Fazenda Serrado, Campo, Exterior, Manhã

Laura segue montada junto de Frederico em um cavalo, eles seguem de maneira tranquila, ela o beija diversas vezes durante o percurso que percorrem.

FREDERICO: – Se o seu pai nos pega, ele com certeza dará uma enorme bronca em nós dois. Devíamos estar trabalhando.

LAURA: – Passar um dia com meu namorado não vai fazer mal a ninguém. Se eu pudesse ficava o tempo todo assim com você… você me faz tão bem.

FREDERICO: – Se eu pudesse, também ficaria, meu amor, mas logo poderemos ficar juntos para sempre.

LAURA: – Como assim, Frederico?

FREDERICO (Sorrindo): – Eu quero lhe fazer uma surpresa hoje a noite, mas só  vou contar hoje a noite mesmo.

LAURA: – Você já me deixou curiosa!


CENA 5: Fazenda Brilhante, Casa, Sala, Interior, Manhã 

Olavo caminha de um lado para o outro, está sério, só pensa no que Perpétua possa querer dele, sua mente voa, seus pensamentos se embolam.

OLAVO: – O que eu posso fazer para me livrar disso tudo? Eu não posso ser manipulado desse jeito, não posso. Minha vida está nas mãos de uma mulher que não vale nada, absolutamente nada. – Ele para tentando encontrar uma saída urgente.


CENA 6: Fazenda Serrado, Casa, Sala, Interior, Manhã 

Olavo olha algumas documentações no notebook enquanto Perpétua vem descendo pela escada toda arrumada, ele se surpreende um pouco ao vê-la.

HORÁCIO: – Onde vai tão ceda e tão arrumada assim, Perpétua?

Perpétua se aproxima do marido e o beija, depois se afasta um pouco.

PERPÉTUA: – Vou em Sonhador, Horácio… já estou um pouco entediada com isso tudo aqui.

HORÁCIO: – Vê se não vai fugir de mim. – Diz em tom de brincadeira.

PERPÉTUA: – Eu jamais fugiria de você, meu amor. Vou rápido e volto mais rápido ainda. – Diz antes de beijá-lo novamente.

Horácio a observa ela sair pela porta da frente, sorri acreditando que Perpétua vai apenas  se distrair um pouco.


CENA 7: Fazenda Serrado, Exterior, Manhã 

Frederico está sem camisa arrumando algumas coisas próximo do estábulo, e não vê que Samira o observa de forma atenta, ela o olha de cima abaixo, certa do que quer. Samira está tão distraída que não percebe a chegada de Perpétua.

PERPÉTUA: – Gosta do que vê?  – Pergunta assustando a sobrinha.

Samira se vira assustada por ter sido flagrada admirando o namorado de sua prima.

SAMIRA: – Não conte nada para a Laura, tia, por favor!

PERPÉTUA: – E que motivos teria eu para contar algo assim para minha filha? Os olhos foram feitos para ver, e você não está fazendo nada  demais, querida sobrinha. – Ela sorri enquanto toca o rosto de Samira. – Saiba que eu acho você muito mais o perfil dele.

Perpétua sai dalí deixando Samira um pouco confusa.


CENA 8: Fazenda Brilhante, Casa, Varanda, Exterior, Manhã

Olavo olha atentamente para a porteira, e se levanta por um pequeno tempo ao ver um carro próximo. Um funcionário de Olavo abre a porteira e o carro arranca para dentro da Fazenda Brilhante. Olavo volta a se sentar ao constatar quem é. O carro para próximo da varanda e Perpétua sai.

OLAVO: – Achei que a senhora não viria mais.

Perpétua sorri de forma debochada.

PERPÉTUA:  – Se eu quisesse deixava você esperando o dia todo e nada poderia ser dito.

OLAVO: – Quem a senhora acha que é? – Questiona se levantando.

PERPÉTUA: – Eu sou aquela  que pode destruir você destruir tudo que o Germano construiu. Você não quer isso, quer?

OLAVO: – Diga logo o que você quer, pois para ameaçar contar meu segredo, segredo que meu pai lhe contou por descuido. Diga logo o que você quer de mim.

PERPÉTUA: – Não se altere, Olavo. O que eu quero de você é algo bem simples, que mesmo sendo um grande sacrifício, vai me ajudar e muito. Se você fizer o que quero, pode ficar certo de que nunca mais vou lhe atormentar com seu segredo.

Olavo encara Perpétua com uma certa raiva, e ela o olha com um olhar de desdém.


CENA 9: Fazenda Serrado, Casa, Sala, Interior, Noite 

Perpétua está sentada no sofá menor, seus olhos percorrem toda a sala onde também está Laura, Frederico, Horácio e Samira. Ela olha com alegria para a filha e seu namorado.

PERPÉTUA: – Logo meu prazer será gigante por não ver mais essa cena todos os dias.

Frederico beija Laura, um beijo que deixa Samira em fúria, ela disfarça e segue para a cozinha sob o olhar atento de Perpétua.

FREDERICO: – O que eu queria dizer é algo rápido, mas extremamente importante.

Laura fica um pouco preocupada, e olha da mesma forma para Frederico.

FREDERICO: – Se acalme, meu amor. – Pede enquanto acaricia o rosto dela. Frederico retira do bolso da calça uma caixinha aveludada. Laura coloca as mãos na boca, incrédula, mas feliz. Frederico abre a caixinha revelando um belíssimo anel. – Aceita se casar comigo? Sei que parece ser cedo demais, mas eu a amo de forma inexplicável, de forma avassaladora e tenho certeza que quero passar o resto da minha vida ao seu lado. – Pergunta, sorridente.

Tal pedido faz com que Perpétua se irrite ainda mais, pois é pega de surpresa, uma surpresa nada agradável para ela. Perpétua se controla para não gritar toda sua raiva.

PERPÉTUA (Pensando): – Esse sujeito foi longe demais!

Laura está emocionada, seus olhos começam a lacrimejar, são lágrimas de felicidade, uma felicidade que não cabe no seu peito, ela abraça Frederico com muita intensidade e o beija.

LAURA: – Sim, eu aceito me casar com você, Frederico. – Responde entre os beijos intensos.

FREDERICO: – Eu amo muito você, amo de forma indomável! – Diz para logo em seguida a beijar com intensa volúpia.


CENA 10: Fazenda  Brilhante, Casa, Quarto de Olavo, Interior, Noite 

Olavo, da sacada, olha para a lua e se lembra de sua pessoa amada, sente falta de algo que conseguia lhe completar. Ele volta seu olhar para a cama e em sua mente vem as imagens da última noite de amor com tal pessoa.

OLAVO: – Sua partida me fez ter força para fazer o que eu deveria ter feito há muito tempo. Amanhã mesmo vou dar um fim a essa tortura. – Diz enquanto se senta na cama.


CENA 11: Fazenda Serrado, Casa, Escritório, Interior, Noite

Horácio toma uma taça de vinho enquanto olha para a janela, seus olhos brilham de felicidade. Ele não está sozinho em seu escritório, Frederico o acompanha, curioso.

HORÁCIO: – Eu já o tenho como a pessoa mais confiável que já convivi,  Frederico. Faço muito gosto do seu casamento com minha filha, não poderia ser melhor, mas há outra coisa que eu quero falar.

FREDERICO: – Diga, Horácio.

Horácio se vira, coloca a taça ainda com um pouco de vinho sobre a mesa e abre uma gaveta retirando um envelope pardo. Horácio entrega o envelope para Frederico.

HORÁCIO: – Abra e Leia!

Frederico faz o que Horácio pede e começa a ler o conteúdo no envelope, descobre se tratar do testamento de seu futuro sogro. Frederico lê de maneira atenta cada linha, e fica surpreso.

FREDERICO: – Não é justo isso,  Horácio. Eu não posso aceitar, e outra, o senhor ainda tem muito o que viver.

HORÁCIO: – Eu só confio em você, Frederico. Só você pode cuidar da minha filha, dos meus negócios tão bem, não confio em mais ninguém, por isso no meu testamento, você é o principal herdeiro, assim como minha filha. – Ele abaixa o olhar. – É difícil dizer isso, mas a Perpétua não é confiável, é duro admitir, mas parece ser a realidade. – Ele segura na mão de Frederico. – Não recuse esse testamento se algo me acontecer. – Pede olhando nos olhos do seu futuro genro.

FREDERICO: – Nada vai acontecer ao senhor, Horácio. Mas você pode contar comigo, sempre, pois tenho uma dívida eterna com o senhor.

HORÁCIO: – Obrigado, Frederico. – Agradece antes de abraçar Frederico.

Sem perceberem, Perpétua escuta toda a conversa atrás da porta, e fica furiosa com o que ouve, ela fica paralisada pensando.

PERPÉTUA (Pensando): – Canalha, infeliz, eu não fiquei anos nesse casamento para nada, não tive que suportar você pra nada! Isso não vai ficar assim, não vai!

Perpétua sai enfurecida e segue direto para o quarto.


CENA 12: Fazenda Serrado, Casa, Quarto de Perpétua e Horácio, Interior, Noite

Perpétua chora de raiva, ela caminha até o telefone e o pega nas mãos, seu olhar é um olhar amedrontador. Depois de digitar o número desejado, ela enxuga as lágrimas de ódio.

PERPÉTUA  (Ao Telefone): – Adiante tudo, adiante! Não quero perder mais tempo. Eu quero aqueje infeliz bem longe dessa Fazenda para nunca mais pensar em voltar, se necessário, não exite em matá-lo.

HOMEM (Do outro lado da linha): – Tudo bem, senhora. Será como a senhora ordena.

Perpétua encerra a ligação e olha para o relógio de parede.


CENA 13: Fazenda Serrado, Casa, Quarto de Laura, Interior, Manhã 

Laura desperta depois de uma noite maravilhosa, o sorriso é algo que a embeleza ainda mais pela manhã. Ela vira para o lado esquerdo em busca de Frederico, mas não o encontra, e bate sua mão  em algumas folhas, que logo ela constata serem cartas. Ela pega uma das cartas nas mãos e sai da  cama, o seu sorriso desaparece.

LAURA: – Não, não, não, não! Não pode ser, não pode, não!!! – Grita ficando de joelhos após ler  todas as cartas. Laura começa a chorar de forma compulsiva.

Laura ouve um grito de desespero em meio ao seu choro e mesmo sobre o impacto do conteúdo da carta, ela deixa o quarto e segue para a sala.


CENA 14: Fazenda Serrado, Casa, Sala/Escritório, Interior, Manhã 

Laura chega na sala, seus olhos lacrimejam incessantemente, ela não vê nada de anormal, então segue para o escritório onde encontra Perpétua debruçada sobre o corpo de Horácio, que não apresenta nenhum ferimento.

LAURA: – Mãe, mãe, o que houve? – Pergunta, chorosa ao se aproximar de Perpétua.

PERPÉTUA: – Ele morreu, filha. Seu pai está morto. – Grita, aparentando estar desesperada.

LAURA:  Meu Deus! Meu Deus! Não, pai! Você não pode morrer, não pode… volta pra mim, pai, volta! – Pede desconsolada enquanto abraça o corpo frio de Horácio.

Laura chora copiosamente sobre o corpo do pai enquanto Perpétua enxuga as lágrimas. Olavo entra pela porta e fica boquiaberto com o que vê, seus olhar assustado se encontra com o de Perpétua, que se aproxima dele com raiva.

PERPÉTUA (Sussurrando): – O que você está fazendo aqui?

OLAVO: – Eu vim… Eu vim para dizer algo muito importante para o Horácio, mas vejo que é tarde demais. Você foi mais rápida. – Responde com certa raiva nas palavras.

Laura ainda abraça o corpo frio do pai, ela chora muito lembrando dos bons momentos ao lado de seu querido pai. Em sua mente também vem a imagem de Frederico, das cartas na cama, Laura desmaia.

CONTINUA


Anúncios

4 comentários sobre “Amor Indomável: Capítulo 5

  1. Agora vem a grande virada da trama. Perpétua arrasou no capítulo de hoje. Não me canso de elogiá-la, sério! Está cada vez mais diabólica, chega a dar medo. E ela conseguiu afastar Fred, e ainda matou Horácio. 😮 Vagabunda!

    Parabéns, Jair! 😀

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s