A Jogada: Capítulo 7


20170124_193149


CENA 1: Maré Verde, Bairro São Jorge, Casa de Teresa, Interior, Noite

Teresa olha para a mãe. Dolores parece pedir perdão aoenas com o olhar. A jovem se mostra curiosa e também espantada, pois nunca imaginou que sua mãe pudesse lhe esconder algo. Teresa se aproxima um pouco mais de sua mãe.

ENRIQUE: – Vamos deixar que conversem entre elas, pai. Elas precisam disso. – Pede já se encaminhando  para o  corredor que leva até os quarto.

Eros segue o filho e deixa Dolores e Teresa sozinhas.

TERESA: – O que há para me contar, mãe?

DOLORES: – Tudo, filha. Tenho que contar tudo para você.

TERESA: – Tudo o que, mãe?

Teresa se vira com vergonha de encarar a filha, que espera por uma resposta.

DOLORES (Chorando): – Eu não sou sua mãe, Teresa.

TERESA (Espantada): – Como assim?

Dolores volta a olhar para Teresa, os olhos delas estão cheios de lágrimas.

DOLORES: – Eu deveria ter contado tudo isso antes, mas cometi um erro. – Lamenta antes de se sentar no sofá.


CENA 2: Casa de Teresa, Quarto, Interior, Noite

Eros olha pela janela enquanto Enrique fecha a porta. O pai de Enrique parece estar pensativo, o que desperta a curiosidade dele.

ENRIQUE: – No que você está pensando, pai?

EROS: – Eu estraguei tudo mais uma vez filho.

ENRIQUE: – O senhor não tinha como saber que ela não sabia, pai.

EROS: – Mas eu devia ter imaginado que a Dolores não revelou tudo ainda.

ENRIQUE: – Ela me contou uma parte quando estávamos no hospital, e tenho certeza que a Teresa não ficará magoada. A Dolores também não sabe de quem ela é filha.

EROS: – Mas o filho dela sabe, eu tenho certeza.

ENRIQUE: – Você conhece o Igor?

EROS: – Muito mais do que eu deveria.

ENRIQUE: – Como assim, pai?

Eros sai de perto da janela e se aproxima do filho.

EROS: – Eu não tenho provas, mas eu carrego a certeza comigo de que o filho da Dolores tem algo a ver com tudo que nos aconteceu.


CENA 3: Bairro Alto, Casa de Lucas, Cozinha, Interior, Noite

Lucas janta na companhia de sua irmã, Ariadna, e depois da conversa franca que teve, não deixa de pensar em Soraia, e seus olhos brilham quando em sua mente vem imagens do que viveram um dia.

ARIADNA: – Você deveria falar com ela é contar sobre suas suspeitas.

LUCAS: – Bem capaz, mana! Ela nunca vai acreditar em mim, sempre vai dar ouvido ao pai dela.

ARIADNA: – Você nunca tentou desde que tudo aconteceu, então não pode saber o que ela realmente deve pensar.

LUCAS: – Depois de pegar eu e a irmã dela na cama, com certeza ela deve me odiar com todas as forças.

ARIADNA: – Uma cena armada pelo Estefano, como bem sei.

LUCAS: – Eu só queria que ela me escutasse como não escutou naquela época.


CENA 4: Centro, Casa de Estefano, Quarto de Rebeca, Interior, Noite

Manoel aproveita que todos estão jantando e inventa uma indisposição, então vai até o quarto de sua namorada, retira o celular do bolso da calça e antes de fazer uma ligação, certifica de que a porta está fechada, ele liga.

MANOEL (Ao Celular): – Trabalhas bem! Muito obrigado mesmo, Mano, és o melhor no que faz.

HOMEM (Do outro lado da linha): – Conte comigo para o que precisar, Manel.

MANOEL (Ao Celular): – Agora tenhas a certeza de que vou ligar apenas para avisar a Polícia e entregar as provas. Isso não demora, beijinhos. – Diz antes de encerrar a ligação.


CENA 5: Bairro São Jorge, Casa de Teresa, Sala, Interior, Noite

Teresa chora copiosamente, ela não levanta a cabeça, se mantêm imóvel enquanto pensa em tudo o que ouviu de Dolores, de toda sua história.  Teresa enxuga algumas lágrimas enquanto levanta a cabeça.

TERESA: – Não há mais nada para contar? – Questiona ao voltar olhar para Dolores.

DOLORES: – Eu queria dizer quem são seus pais, Teresa, mas não tenho essa informação.

TERESA: – Seu filho deve saber, não é mesmo? Afinal foi ele quem me tirou daquele lugar.

Dolores abraça Teresa, que chorando aceita o abraço afetuoso.

DOLORES: – Se eu pudesse voltar no tempo, teria contado  antes, filha.

TERESA: – O Enrique também sabia?

DOLORES: – Ele só soube há poucos dias,  mas eu pedi para ele não contar, não fique brava com ele, por favor. E um dia se você puder me perdoar, eu vou ficar feliz.

TERESA: – Eu não tenho que perdoar a senhora, mãe, pois caso a senhora não tivesse me criado, eu não teria esse lar que ganhei de presente, essa família maravilhosa.

Dolores aperta o abraço que dá na filha, e Teresa faz o mesmo, as duas pensam nos bons e maus momentos que passaram juntas. Enrique aparece no corredor e se emociona ao ver as duas abraçadas.


CENA 6: Edifício Samir, Apartamento de Igor, Quarto, Interior , Manhã 

Igor desperta e ainda deitado na cama fica a olhar para a tela do celular pensando em Ariadna, mas ele logo sai da galeria, e fica pensativo.

IGOR: – Não há como ficarmos juntos. Eu perderia demais estando com você, por mais que eu possa ser feliz ao seu lado.

Igor começa a pensar em sua mãe, e em todas as coisas que aconteceu com ela. Em sua mente vem a imagem de quando ele ainda era uma criança e brincava com seu pai e com sua mãe.

IGOR: – Era para sermos felizes,  mas felicidade de verdade, e não essa feita sob pressão, mas agora não me adianta de nada chorar sobre o leite derramado.

A campainha toca, Igor se levanta nu procurando por sua cueca, assim que a veste, vê sua calça aos pés da cama, e também a veste, logo está pronto.

IGOR: – Quem será tão cedo? – Se pergunta enquanto se encaminha até a sala. A campainha volta a tocar novamente.


CENA 7: Bairro Alto, Casa de Lucas, Sala, Interior, Manhã 

Ariadna está com um jornal nas mãos sentada no sofá, ela levanta o olhar ao ver seu irmão se aproximar e nota que ele não está vestido para trabalhar.

ARIADNA: – Não vai trabalhar, Lucas?

LUCAS: – Hoje não. Eu vou seguir seu conselho e ir até a Soraia de uma vez.

ARIADNA: – Faça isso, e diga tudo o que há para ser dito, meu irmão.

LUCAS: – Obrigado pelo apoio, mana. Vou fazer o que eu deveria ter feito  há muito tempo. – Diz confiante.


CENA 8: Bairro São Jorge, Casa de Teresa, Interior, Manhã 

Enrique desperta e não vê Teresa ao seu lado, ele fica preocupado e se levanta rapidamente.

ENRIQUE: – Ainda é cedo demais para ela já ter ido trabalhar. – Diz enquanto olha no relógio de pulso.

O rapaz se veste e sai do quarto seguindo em direção a sala onde encontra Dolores.

ENRIQUE: – Bom dia, Dolores.

DOLORES: – Bom dia, Enrique.

ENRIQUE: – Você viu  a Teresa?

DOLORES: – Não, ela não está no quarto?

ENRIQUE: – Quando acordei, eu não vi ela. Será que ela já do trabalhar?

DOLORES: – Provavelmente, Enrique.

ENRIQUE: – Só espero que ela esteja melhor depois de tudo que ficou sabendo.

DOLORES: – Eu também espero isso, Enrique, e ela precisa muito de você.

ENRIQUE: – Nunca vou deixar de estar com ela, dona Dolores, isso eu juro.


CENA 9: Centro, Casa de Estefano, Interior, Manhã 

Soraia desce pela escada, sorridente, como nunca esteve nos últimos tempos depois que tudo de ruim aconteceu em sua vida. A campainha toca e a empregada segue para atender. A porta é aberta e Soraia está no último degrau quando olha e reconhece o homem parado alí.

SORAIA: – Lucas? – Se pergunta enquanto se encaminha para a porta.

EMPREGADA: – A senhora o conhece, patroa?

SORAIA: – Sim. – Responde fazendo com que a empregada os deixem sozinhos.

Soraia e Lucas se olham como se estivessem a resgatar o último olhar que eles cruzaram antes de serem separados.


CENA 10: Edifício Samir, Apartamento de Igor,  Sala, Interior, Manhã 

Igor abre a porta e extremamente admirado ao ver quem está alí, quem tocara a campainha, mas sequer imagina o que ela deseja alí tão cedo. Igor pensa em Dolores, e teme que algo tenha acontecido novamente.

IGOR: – Teresa! O que faz aqui? Aconteceu algo com a Dolores?

Teresa parece analisar Igor, que fica intrigado com os olhares da moça.

CONTINUA

Anúncios

6 comentários sobre “A Jogada: Capítulo 7

    1. Começou por acaso, gostei de um blog que fazia essas realizações diárias, e então resolvi abordar no meu, estudei um pouco e fiz 🙂 estou desenvolvendo o roteiro de um filme, mas ainda está no início, estou a gostar de fazer isso, mas preciso aprender mais 😊

  1. Interessante. Minha curiosidade vem do fato de ter achado inusitado a forma e o conteúdo ou, pelo menos, não tinha visto ainda algo parecido aí pela Rede. Vi também alguns textos teus, que alguns chamariam de Fantasia ou Sword and Sorcery. Você sabe, magos, guerreiros e assemelhados. Fale um pouco sobre isso, por favor. Espero não estar aborrecendo e se estiver, você tem toda minha permissão para ser franco. Outro abraço.

    1. Está aborrecendo não 🙂 essas histórias ‘Fantásticas’ surgiu depois que acompanhei uma série, que não teve um final muito legal, então decidi por me jogar um pouco nesse mundo, ainda estou a aprender um pouco mais 😊 como sou fã de Harry Potter, entre outros personagens que me cativaram nesse mundo de magia, etc, decidi investir em histórias assim 😀

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s