Coração de Pedra: Capítulo 3


20170124_193149


| ROSA DO BARÃO, CASA DE EDUARDO, VARANDA, EXTERIOR, MANHà

DIAS DEPOIS

Eduardo decide morar na casa que um dia foi de Estênio, seu falecido tio. Os empregados conhecem ele muito bem e tem grande carinho por aquele que eles viram crescer. Eduardo está lendo na varanda concentrado quando Venâncio chega.

VENÂNCIO: – Boa tarde, Eduardo!

Quase que imediatamente, Eduardo reconhece aquela voz.

EDUARDO: – Venâncio, grande amigo! – Diz ele se levantando e o cumprimentando.

Venâncio se aproxima de Eduardo.

VENÂNCIO:  – Sei que nestes quinze anos estive ausente, Eduardo, mas não tenha dúvidas que eu estava cuidando dos seus interesses, velho amigo. Fiz isso pelo seu pai e por você e acredito que meu filho cuidou muito bem do seu caso.

EDUARDO:  – Muito obrigado, Venâncio. O Demétrio sempre foi excelente como amigo e muito mais como advogado. E como vão as coisas na empresa?

VENÂNCIO: – Vai tudo bem! Confesso que no começo achei que o Ricardo ia levá-la para o buraco, mas ele soube administrar.

EDUARDO:  – Aprendeu comigo, com o nosso pai, aquele traidor!

VENÂNCIO: – Não diga isso, Eduardo. O Ricardo assim como todos, ficaram sem saber o que fazer, em que acreditar depois do acontecido.

EDUARDO:  – Eles não ficaram do meu lado naquele dia. Maldito dia em que viajei com estas pessoas que diziam ser meus amigos, mas nenhum acreditou em mim, nenhum! – Diz Eduardo furiosamente jogando o livro que está em suas mãos que espalhou suas páginas ao vento.

De imediato, as lembranças de Eduardo daquele fatídico dia voltam.


Flashback

|| MONTE VERDE, HOTEL DUMONT, NOITE

Outubro de 2000

Eduardo, Paulo, Isaque, Vitória, Emanuel, Helena, Manuela e Ricardo, todos se conhecem na faculdade e se tornam amigos, e para comemorar a formatura, eles decidem por viajar para a cidade de Monte Verde. Eduardo namora Helena as escondidas, ele acredita piamente que ninguém sabe do relacionamento dos dois, porém Ricardo sabe e inveja o irmão por ter Helena nos braços dele. Ricardo trabalha junto com o pai e Eduardo na empresa que a família Marino Gouveia conseguiu consolidar e desde que assumiu as finanças da empresa, esse esconde um grande segredo.


A viagem para Monte Verde foi cansativa, mas tudo valeu a pena quando eles lá chegaram, e logo todos estavam acomodados em seus quartos. Depois de um dia de muito turismo por aquelas praias, a noite chegou sorrateira.


Isaque namora Vitória e rega por ela um ciúme doentio, sempre perde o controle quando bebe além da conta, e isso felizmente não acontece nesse dia, pois o casal alega estarem cansados e sobem para o quarto mais cedo do que de costume.


||| HOTEL DUMOMT, RESTAURANTE, INTERIOR, NOITE

Manuela  já está ficando preocupada com o sumiço do Marido, Emanuel.

MANUELA:    – Onde será que ele está? – Ela se pergunta.

A impaciência de Manuela cresce ao passo que todos saiam da mesa para irem pro quarto ou beber alguma coisa no bar. Emanuel já havia feito isso algumas vezes, mas sempre ligava dizendo o que estava acontecendo.


|||| HOTEL DUMOMT, BAR/CORREDOR/ QUARTO 32, INTERIOR, NOITE

Paulo se sente  culpado por ter deixado Denis, seu único filho praticamente sozinho, porém a sua preocupação é deixada de lado quando começa a beber sem interrupções. Quando Paulo toma conta de que estava passando dos limites, ele segue para o quarto dele, porém no meio do caminho não consegue se lembrar da numeração do quarto onde estava e tampouco encontrou a chave.

PAULO: – Onde eu coloquei essa chave? – Se pergunta enquanto procura pela chave.

Alcoolizado, Paulo acaba sem querer entrando num quarto, e se depara com uma cena até então, surpreendente para ele. Ainda com um pouco de noção do que se passa a sua volta, ele retorna para o corredor onde acaba desmaiando.

Horas depois, todos já estão em seus quartos, alguns bêbados e outros nem tanto. Paulo consegue a ajuda de Isaque para encontrar o quarto onde está.


||||| HOTEL DUMOMT, QUARTO 36, INTERIOR,  NOITE

Eduardo espera Helena, e ela aguarda que todos esteja dormindo para que pudesse se encontrar com seu amado e quando tem a certeza de que ninguém irá ver ela entrando no quarto de Eduardo. Helena entra no quarto dele e tem uma grandiosa surpresa, pois Eduardo havia preparado um jantar a luz de velas, e assim que ela entra, Eduardo ajoelha aos pés dela.

EDUARDO: – Aceita casar-se comigo?

HELENA:    – Não acredito nisso. Claro que sim, é  o que eu mais quero meu amor!

Eduardo se levanta.

EDUARDO: – Eu te amo!

Eduardo a beija intensamente.

Depois de se amarem, Helena acaba dormindo e Eduardo fica pensando no seu futuro com ela quando ouve barulhos estranhos vindo do quarto de Paulo, que fica ao lado do seu, então rapidamente ele veste uma roupa  e segue pra ver o que está acontecendo.


|||||| HOTEL DUMOMT, CORREDOR/ QUARTO 37, NOITE

Quando Eduardo chega perto da porta do quarto, ele se depara com ela entreaberta e entra, encontrando Paulo morto no chão do quarto. Assustado, Eduardo  ouve um barulho na porta, pega a arma de cima da cama no impulso e mira na porta, porém só dá tempo de vê-la se fechando com violência. Ele deixa a arma e se debruça ao lado do corpo do amigo.

EDUARDO:  – Por que fizeram isso com você, meu amigo? – Ele se pergunta sem se dar conta do que havia acontecido.

Paulo foi morto com um tiro certeiro.

CONTINUA

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s