Filho da Neve: Capítulo 4


Ilon observa a noite se aproximar  rapidamente, está frio para Marfel que começa a se tremer, porém tenta resistir o quanto pode. Ilon percebe o sofrimento de seu irmão em suportar o frio que se faz cada vez mais intenso. Marfel recebe o caloroso abraço do irmão.

– Assim você vai ficar melhor. – Afirma o jovem rapaz enquanto tenta esquentar Marfel da melhor forma.

– Eu estava bem, irmão. – Diz Marfel tentando ser convincente, pois ao seu ver, era ele quem deveria cuidar de Ilon,  e não ao contrário.

O espelho os observa de maneira atenta depois de retornar de uma viagem transcendental.

– Sem dúvidas ele será um ótimo rei para Felito. – Pensa o espelho. – Mas eu preciso me libertar desse feitiço para que possa melhor ajudá-lo.

Ilon olha para o espelho.

– Vamos ter de ficar aqui até quando? – Questiona Ilon. – Ele se mostra forte, mas não está suportando o frio. – Diz Ilon enquanto olha para Marfel.

– Você, diferente dele não está sentindo frio, não é mesmo? – Indaga o espelho.

Ilon não havia parado para pensar no que estava sentindo, mas percebe que o frio não o incomoda como faz com seu irmão.

– Eu realmente não sinto nada. – Afirma Ilon.

– Você sempre foi assim, Ilon. O frio nunca lhe afetou, e isso sempre impressionou nossa mãe. – Diz Marfel antes de tossir.

O espelho se aproxima um pouco mais dos dois rapazes.

– Sua magia é misteriosa, e somente uma pessoa além de Lormio sabe a extensão desse mistério. Seus pais, rei Morlop e rainha Naroma confiaram sua vida a neve de todo o inverno, por isso você  foi achado envolvido por uma quantidade impressionante de neve, tudo  para que seu tio não o encontrasse.  – Diz o espelho.

– Então eu não sou quem sempre achei que fosse? – Pergunta Ilon.

– Você sempre achou que sua vida não tinha propósito algum, mas tem. Você é o rei que Felito precisa para voltar a ser feliz, você tem que destronar o seu tio. – Responde o espelho.

Ilon encara o espelho, está sem entender como fará isso já que descobrira não faz tantas horas que é possuidor de magia.

– E como eu farei isso? – Questiona Ilon.

– A magia estará pronta para você quando você estiver pronto para ela, Ilon!. – Responde o espelho.

Ilon fica pensativo, mas algo começa a incomodá-lo. O jovem destinado a ser rei de Felito  começa a ouvir um barulho semelhante a de cavalos cavalgando rapidamente, Marfel percebe que o irmão ficou muito quieto.

– O que houve? – Pergunta Marfel.

– Eu ouvi alguma coisa, pareciam cavalos, eu não sei direito. – Responde Ilon deixando de abraçar Marfel. – Você não ouviu? – Questiona Ilon.

– Eu não ouvi nada além do barulho que as árvores fazem com o vento. – Responde Marfel tentando se levantar.

Ilon começa a ouvir novamente, porém dessa vez um vento que parece ter vida própria o rodeia, e ele consegue ouvir algumas vozes, vozes essas que o ameaça diretamente.

– O que são essas vozes?  O que é tudo isso? – Pergunta Ilon colocando as mãos na cabeça. – Eu estou ficando insano!

O espelho se aproxima de Ilon, que por sua vez o segura com toda sua força, logo o espelho começa a rachar por completo e se despedaça. Ilon fica apavorado achando que destruiu o objeto, ele se abaixa e tenta juntar os pedaços, e fica  impressionado com o que começa a surgir dos cacos. Os cacos todos se juntam e o vidro do espelho se reintegra, e de dentro do vidro uma fumaça Branca começa a sair, logo a figura de um homem é formado. Ilon se afasta com medo.

– Quem é você?  – Pergunta Ilon.

– Calma, eu não farei mal algum para você. – Responde o estranho homem. – Era eu quem estava no espelho o tempo todo, e você conseguiu quebrar o feitiço ao me tocar.

Marfel se aproxima cautelosamente, e ajuda Ilon a se levantar da neve.

– Meu nome é Savo Morã, Milord. – Diz o estranho homem entendendo a mão para Ilon.

Marfel arregala os olhos.

– O melhor guerreiro que já existiu em toda a terra. – Diz Marfel enquanto se lembra da história que sua mãe contava sobre o guerreiro Savo.

Ilon mesmo com receio, segura na mão de Savo, que sorri.

– Precisamos sair daqui, pois aquilo que você estava ouvindo não era loucura, e sim sua magia se manifestando e nos avisando do perigo que corremos. – Afirma Savo enquanto começa a caminhar para o Sul.

Ilon e Marfel começam a seguir Savo.

Longe dali, Lormio cavalga rapidamente, a raiva contida nos olhos é amedrontadora, alguns homens o seguem com várias armas em punho.

– Vamos achar o meu sobrinho e matá-lo! – Lormio grita para os homens que o acompanham. – Não só ele, mas todos que estiverem com ele sofrerão as consequências, não se esqueçam disso.

Lormio consegue uma velocidade impressionante com seu cavalo, deixa os outros homens para trás, ele pára bruscamente o cavalo ao ver uma linda jovem na sua frente, jovem essa que surge repentinamente.

– Saia da minha frente!  – Grita Lormio com a jovem, que não apresenta nenhuma reação. – Bom, então você sairá por mal. – Afirma Lormio descendo do cavalo.

Lormio retira a luva negra que usa e aponta sua mão para a jovem, que se mantêm imóvel.

– Eu não deixarei que você mate nosso futuro rei, o seu fim está próximo, Lormio. – Diz a jovem retirando sua capa azul e a jogando na neve.

A jovem rapidamente se transforma em uma gigantesca serpente Branca que começa a se enrolar no corpo de Lormio, que rapidamente perde os sentidos. A serpente volta  a ser uma mulher novamente, e quando ela se abaixa  para pegar sua capa, ela recebe o feitiço de Lormio, e é arremessada ao longe. Lormio se levanta da neve.

– Ninguém fica no meu caminho, e logo eu terei a cabeça do Ilon nas minhas mãos.

CONTINUA

Anúncios

14 comentários sobre “Filho da Neve: Capítulo 4

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s