Precioso Viver: Capítulo 9


picsart_10-26-04.13.34.jpg


CENA 1: São Paulo, Estrada, Exterior, Noite

Ruan segue no banco traseiro do carro, ele só pensa em Isabel, quer vê-la bem, mas não pode ajudar, e isso o deixa com o coração partido .

RUAN (Pensa): – Eu não deveria ter saído do seu lado, meu amor, não deveria tê-la deixado sozinha. – Ele lamenta em pensamento. – Que Deus me ajude!

O carro em que Ruan está pára, Marcos sai e abre a porta e tira Ruan, que não demonstra medo, somente preocupação. Marcos desamarra as mãos de Ruan, e deixa a arma engatilhada em seguida. Ruan fecha os olhos. Marcos atira pra cima.

MARCOS: – Vai embora! – Ele grita.

Ruan volta a abrir os olhos.

RUAN: – Foi essa a ordem do meu irmão?

MARCOS: – Não exatamente, vai logo!

RUAN: – Eu não me esquecerei disso.

Assim que Ruan se afasta pela estrada,  Marcos coloca a mão na cabeça.

MARCOS: – Espero que o Fernando não descubra isso.


CENA 2: Aurora, Casa de Isabel e Ruan, Sala, Interior, Noite

Julia vem com duas xícaras com chá da cozinha, ela dá uma para Isabel e fica com outra. Julia se senta ao lado da amiga.

JULIA: – Está melhor?

ISABEL: – Estou um pouco melhor sim. Muito obrigada por estar aqui, Julia.

JULIA: – Você é minha amiga, e eu sempre estarei aqui! Tenho algo muito bom para contar.

ISABEL: – Essa sua carinha só pode ser relacionada uma coisa, aliás, a um homem, o Douglas, acertei?

Julia sorri.

JULIA: – Sim, ele esteve lá em casa hoje. Ele disse tudo  e muito mais do que eu queria ouvir.

ISABEL: – Já estava na hora, não é mesmo?

JULIA: – Sim, passando da hora, eu não via a hora de beijá-lo, Isabel. Ele beija tão bem.

ISABEL: – Só você mesmo,  Julia. – Ela sorri. – Agora cuide dessa relacaok minha amiga. Você merece toda felicidade do mundo.


CENA 3: São Paulo, Aeroporto, Exterior, Noite

Virgílio sai de seu avião particular, ao seu encontro vem um homem bem vestido, jovem, está sério, ele cumprimenta Virgílio.

VIRGÍLIO: – Descobriu mais alguma coisa importante, Agenor?

AGENOR: – Sim, senhor. Parece o que suas suspeitas estavam certas. Eu fui até o hotel onde o Ruan deveria estar  hospedado, mas não o encontrei.

VIRGÍLIO: – E no que isso ajuda a encontrar meu sobrinho?

AGENOR: – Mas tem muito mais, senhor. O recepcionista disse que viu duas pessoas iguais entraram no elevador, e eu investiguei mais um pouco e descobri que um helicóptero pousou no Heliponto do hotel.

VIRGÍLIO: – Esse Fernando é imprevisível, apesar de ser igualzinho ao Ruan na aparência. Eu só  queria saber qual é o plano dele, pois  tenho absoluta  certeza  de que ele não levou o Ruan  somente para um passeio.

Agenor e Virgílio entram em um belíssimo  e luxuoso carro branco e saem do aeroporto.


CENA 4: São Paulo, Estrada, Exterior, Noite

Ruan caminha pela beira da estrada, não vê nenhum veículo vindo ao seu encontro, mas ouve o barulho de um caminhão atrás dele. Ruan só tem tempo de se jogar para o lado com medo de ser atropelado, o barraco cede e Ruan despenca ribanceira abaixo, ele pára desacordado próximo de um rio.


CENA 5: Casa de Fernando, Sala, Interior, Noite

Fernando conversa com Marcos no celular.

FERNANDO (ao celular): – Fez o que eu mandei, Marcos?

MARCOS (do outro lado da linha/ mente): – Sim, chefe. Eu nunca desrespeito uma ordem sua.

FERNANDO (ao celular):  – É bom que isso seja verdade!

Fernando deixa o celular cair, e desmaia.

MARCOS (do outro lado da linha): – Fernando! Fernando? – Ele pergunta, mas não obtêm resposta.

CONTINUA…

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s