Precioso Viver: Capítulo 7

picsart_10-26-04.13.34.jpg


CENA 1: São Paulo, Hotel, Manhã , Interior

Ruan entra no hotel, caminha pelo saguão atento ao celular, ele sorri ao receber uma mensagem de Isabel. Ruan pára na recepção, um jovem recepcionista o antende rapidamente e com eficiência, então ele segue para o elevador, enquanto  espera o elevador chegar sente uma mão pousar sobre seu ombro, Ruan a reconhece e se vira.

RUAN: – Fernando?  – Ruan arregala os olhos.

FERNANDO: – Muito bom ver você, Ruan.

Ruan muda sua expressão de espantado para raivoso.

RUAN: – Desgraçado! Você roubou tudo o que era do Antônio, infeliz.

FERNANDO: – Não foi nada pessoal, meu irmão. Eu teria dividido o dinheiro com você, mas como você não gosta de tal coisa, então resolvi ficar com ele só pra mim.

RUAN: – O que você quer agora? – Ruan é direto.

FERNANDO: – Muito bom que você tenha perguntado. Simples, eu quero o que eu ainda não consegui, eu disse que você nunca me venceria, irmão.

RUAN: – Você e sua mania de achar que eu disputo algo com você,  Fernando. Nós dois sempre tivemos as mesmas coisas, as mesmas oportunidades, e você ainda fala como se houvesse uma disputa.

FERNANDO: – Da minha parte há essa disputa, e eu vou conseguir o que eu quero, e sabe o que eu quero? A Isabel.

RUAN: – Desgraçado! – Ruan grita e acerta um soco na face do irmão.

Fernando sorri depois que passa a mão no local do soco que acabara de levar.


CENA 2: Aurora, Casa de Isabel e Ruan, Sala, Interior,  Manhã

Isabel caminha de um lado para o outro na sala, está preocupada com alguma coisa. A campainha toca, ela corre a antender. Julia entra estranha o jeito de sua melhor amiga.

JULIA: – Aconteceu alguma coisa, Isabel? – Pergunta Julia ao perceber que Isabel está inquieta.

Isabel olha para Julia.

ISABEL: – Estou sentindo algo desde que o Ruan foi para São Paulo, Julia.

JULIA: – Calma, Isabel, não fica pensando besteira. Com certeza está tudo bem com ele.

ISABEL: – Eu fico muito preocupada com ele estando tão longe de mim por tantos dias.

JULIA: – Ele logo estará com você, minha amiga. – Afirma  Julia se sentando no sofá. – Você já contou para ele o que descobriu?

Isabel acaba se sentando diante de tal pergunta.

ISABEL: – Eu não contei ainda, mas contarei assim que ele retornar de viagem, talvez seja isso que esteja me deixando nervosa.

JULIA: – Sim, pode ser isso, mas não fique assim, pois pode fazer muito mal para o bebê que está chegando.

ISABEL: – Eu nem posso acreditar que serei mãe, Julia.

JULIA: – Mas acredite, é verdade, e eu estou muito  feliz por você, minha amiga.

As duas mulheres sorriem, Isabel deixa se se preocupar um pouco, mas continua com o coração apertado.


CENA 3: São Paulo, Hotel, Saguão, Interior, Manhã

Fernando olha com raiva para Ruan.

FERNANDO: – Você não deveria ter feito isso, Ruan.

RUAN: – Não, não deveria. Deveria ter feito pior, pois você é um bandido, Fernando. Vai me matar como matou a Josefa e o Antônio?

Fernando se espanta.

FERNANDO: – Eu não os matei! Mas com você posso muito bem fazer isso.

RUAN: – Você não vai  conseguir o que quer, não dessa vez. Assim que eu sair daqui você vai parar atrás das grades. – Afirma Ruan.

FERNANDO: – Você passa dos limites às vezes, Ruan. Vamos ver se não vou conseguir o que eu quero.

Fernando acena para dois homens que chegam mais perto, a porta do elevador se abre, Ruan é empurrado para dentro e é segurado pelos dois homens.


CENA 4: Fazenda Vermelha, Casa, Sala, Interior, Manhã

Virgílio lê um livro, está sentado próximo do telefone, que toca assim que ele fecha o livro que estava lendo. Virgílio atende a ligação.

VIRGÍLIO  (ao telefone): – Agenor?

AGENOR  (do outro lado da linha): – Sim, sou eu senhor Virgílio, e tenho notícias muito interessantes sobre o paradeiro de Fernando, o irmão gêmeo do seu sobrinho.

VIRGÍLIO (ao telefone): – Onde ele está?

AGENOR (do outro lado da linha): – Em São Paulo, senhor.

Virgílio se espanta.

VIRGÍLIO (ao telefone): – O Ruan também está aí, e se eles se encontrarem por aí?

AGENOR (do outro lado da linha): – São Paulo é gigantesca senhor Virgílio, a chance disso acontecer é mínima.

VIRGÍLIO (ao telefone): – Espero que você tenha razão, Agenor.


CENA 5: São Paulo, Hotel, Terraço, Exterior, Manhã

Ruan agora está desacordado, é carregado por dois homens, Fernando os acompanha de perto.  Os dois homens coloca Ruan no helicóptero, Fernando entra e fica ao lado do irmão que está desmaiado.

FERNANDO: – Tudo isso vai acabar em breve, meu irmão. -Afirma Fernando com um sorriso no rosto  enquanto fecha a porta.

MARCOS: – Ele é igualzinho a você, chefe. – Diz Marcos admirado. – Espero que seja mais educado pelo menos. – Marcos sorri.

FERNANDO: – Cala a boca, Marcos, e vai logo com esse helicóptero. – Grita  Fernando.

MARCOS: – Vamos para o rancho, chefe?

FERNANDO: – Sim, e quando chegarmos lá, eu digo o que faremos com meu irmão.

O helicóptero levanta vôo, Fernando sorri.

CONTINUA…

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s