O Mago: Capítulo 15 (Segunda Temporada)


Próximo do Fim 

Parte 2


Rei e Mago seguem em direção  as montanhas do desespero, precisam ir a cavalo para não despertar os sentidos de Morgana,  que consegue perceber quando Aron faz uso de magia. Alim e Aron seguem lado a lado, às vezes mais rápido, às vezes devagar, carregam a certeza de trazer a paz novamente para o reino. O sol ainda é alto, mas a medida que se aproximam das montanhas do desespero, a floresta fica mais densa e também mais escura, um nevoeiro faz com que eles parem, não tendo condições de seguir por falta de uma claridade. Aron olha para Alim.

– Eu terei que usar magia, Alim, é a única alternativa para não ficarmos parados aqui ou nos perdermos. – Diz Aron como se pedisse permissão.

– Se você usar magia, a Morgana saberá que não estamos em Viturius, e isso pode ser perigoso, pois acredito que o principal alvo dela somos nós. – Afirma rei Alim com receio.

– Não importa, de um jeito ou de outro ela vai acabar nos localizando e esse confronto será inevitável, Alim. – Diz o mago com uma grande certeza.

Alim faz com que seu cavalo se aproxime do cavalo de Aron, ele toca o rosto do jovem mago.

– Faça o que tem de fazer, Aron. – Pede Alim. – Eu estarei atento a tudo. – Afirma o rei.

Aron desce de seu cavalo, ele caminha alguns metros, e olha em volta, os olhos começam a ficar azuis.

Repolomi Abitora Ircatrimo! – Pronuncia Aron com os braços esticados.

A névoa densa começa a desaparecer lentamente depois do feitiço do mago, seus olhos voltam ao normal assim que uma bolha de luz surge a sua frente e começa a flutuar, mostrando o caminho correto que eles deveriam seguir. Aron retorna, monta em seu cavalo e segue junto de Alim, sempre seguindo a bolha.


Morgana está próximo de Viturius com seu exército imortal, eles marcham cada vez mais rápido. A bruxa sente o uso de magia e não demora para constatar que foi Aron quem usou, mas também percebe que ele não está no reino, ela se enfurece. Morgana olha para Idraco, um de seus guerreiros imortais.

– Atacaremos agora, sem demora! – Grita Morgana, enquanto cavalga rapidamente na frente do exército de imortais.


Lion e Galbo estão em cima do muro que protege o Palácio, estão atentos e percebem a aproximação rápida de Morgana e de seu exército.

– Nós não tivemos tempo suficiente para preparar tantos guerreiros, assim como ela preparou. – Comenta Galbo.

– Não adiantaria, Galbo. Morgana tem um exército imortal, e levar nossos cavaleiros até ela seria levá-los para a morte certa. – Afirma Lion. – Morgana não pode vencer.

– Eu tenho que fazer alguma coisa, Lion. Não posso ficar aqui parado vendo ela destruir a terra onde eu cresci. Eu vou até lá. – Diz Galbo decidido.

– Você não vai até lá, Galbo, eu vou até lá. – Diz Lion se pondo a frente de Lion.

– Não, eu não me perdoaria se algo lhe acontecesse, Lion.

Lion olha com compreensão para Galbo.

– Eu tenho que ir, Galbo, pelo menos para atrasá-la até que o meu irmão e o Alim encontrem a espada de Oniria. – Diz Lion se afastando de Galbo.Arapato Ibarano Arpodica ! – Pronuncia Lion que desaparece.

Galbo ainda tenta segurá-lo, mas não consegue, ele se debruça sobre o muro, está com medo de perder Lion.


Aron e Alim agora estão a pé, os cavalos foram deixados para trás, eles caminham sobre uma ponte suspensa, que se faz antiga, chegam do outro lado do abismo, mas algo os segura pelo pé, eles são puxados  para cima e ficam presos.

– E agora? – Pergunta Alim olhando para Aron de cabeça para baixo assim como ele.

Aron se concentra ao máximo e com um de seus  feitiços, tenta soltá-los, mas não consegue.

– Tudo está perdido! – Diz Aron entristecido.

– Nada está perdido, Aron, acredite. – Afirma Alim tentando acalmar Aron.

– Alim, estamos preso e a minha magia é inútil contra essa corça que nos mantêm presos. – Diz Aron.

Alim consegue se balançar, assim se aproxima de Aron, ele segura a mão do mago.

– Nós estamos juntos, e sairemos dessa, Aron, pode acreditar. – Alim aperta a mão de Aron.

O calor do sol é muito mais intenso no local onde rei e mago estão presos. Os dois tentam se manter acordados, mas parece que algo quer que eles durmam.


Lion pára na frente do cavalo de Morgana.

Romotra Ivariba Emaro! – Pronuncia Lion.

O cavalo de Morgana a derruba no chão e sai correndo. Morgana se levanta rapidamente, está enfurecida.

– Você vai tentar me impedir, Lion? Você não é páreo para mim! – Grita Morgana com muita raiva.

– Você é uma bruxa tola, Morgana. Não terá chances de terminar o que você começou. – Afirma Lion.Bremida Valobura ! – Pronuncia Lion.

O feitiço de Lion por pouco não atinge Morgana que consegue desviar.

– Chega de brincadeira!!! – Grita Morgana. – Seu irmão lhe ensinou muitas coisas, mas mesmo assim você não tem o que eu tenho, não sabe o que eu passei.

– Eu também perdi o meu pai, Morgana, mas nem por isso deixei de ter coração. – Lion enfrenta Morgana.

– O Aron matou o seu pai, assim como matou o meu, você deveria estar ao meu lado, e não contra mim, se realmente entendesse a minha dor. – Diz Morgana com grande fúria nos olhos.

– Ele também sentiu a mesma dor que nós sentimos, Morgana. Meu pai também era o pai dele, e nossos pais se entregaram para algo muito ruim assim como você fez. – Afirma Lion.

– Meu pai esteve do lado certo sempre. São vocês que estão do lado errado. – Diz Morgana encarando Lion.Ramno Etrom Esabara! – Pronuncia a bruxa.

Lion é empurrado no momento em que o feitiço iria lhe atingir. Galbo cai no chão com uma expressão de muita dor.

– Não! – Grita Lion desesperado ao ver Galbo caído ao seu lado.

Lion se levanta, os olhos violetas, os passos firmes, o olhar amedrontador, com os punhos cerrados, ele encara  Morgana com ódio.

– Maldita! Você vai pagar por isso. – Promete Lion enquanto levanta uma de suas mãos. – Ramno Etrom Esabara  Itrion ! – Pronuncia Lion.

Morgana é jogada para longe com o feitiço de Lion, ela consegue se reerguer e parte para cima de Lion.

Aropa Iramia Solbari ! – Pronuncia Lion.

Um campo de força começa a se expandir da mão de Lion, em segundos ele cobre toda a região do Castelo até onfe Lion está. Morgana tenta ultrapassar, mas é arremessada longe novamente.

– Você encontrará o seu fim, Morgana. – Afirma Lion se aproximando de Galbo, que mantêm  os olhos abertos. – Eu vou salvar você,  prometo. – Diz Lion beijando Galbo.Arapato Ibarano Isoro ! – Pronuncia Lion ates de desaparecer com Galbo.

Morgana esbraveja, está possessa de raiva por não conseguir quebrar o campo criado por Lion.


Alim e Aron estão quase pegando no sono, quando sentem que estão caindo em queda livre. O jovem mago logo faz com que eles comecem a levitar , impedindo assim que eles sofram uma queda mortal. Rei e Mago agora estão seguros, os dois caminham pelo caminho que leva até uma gigante caverna, mas no caminho se deparam com uma mulher trajando uma armadura dourada.

– Vocês poderiam pelo menos agradecer a grandiosa ajuda que lhes dei. – Diz a mulher.

– Quem é você? – Questiona Alim.

– Sou Oniria, a portadora da espada que vocês dois procuram, Milord. – Responde a mulher.

– Sua espada pode mesmo quebrar qualquer feitiço?  – Pergunta Alim encarando a mulher.

– Sim, nenhum feitiço é mais forte do que a espada que possuo. – Diz Oniria. 

Aron fica ao lado de Alim.

– Grande Mago, é uma honra imensa tê-lo por aqui, mas como estamos em tempo de guerra devemos deixar todas essas cordialidades um pouco adormecida, sei que vocês estão com pressa. – Diz Oniria enquanto empunha sua espada.

Oniria caminha até Aron, ela sorri ao entregar sua espada na mão do mago.

– Ela pode ser empunhada por mim ou pelo Alim?  – Pergunta Aron.

– Ela pode ser empunhada por vocês dois. – Responde Oniria alternando em olhar para Aron e Alim. – Vocês trouxeram os três objetos? – Pergunta Oniria.

– Trouxemos! – Responde Alim.

Aron retira de uma bolsa que carrega nas costas os três objetos e os entrega para Oniria, que por sua vez coloca a safira e o coração da fênix dentro do Cálice.

– Agora é com você, Aron.  – Diz Oniria. – Destrua-os!

Aron segura o cabo da espada com as duas mãos.

Erapramo Serabatro Irovata Marcepra! – Pronuncia Aron  antes de golpear o cálice com a lâmina da espada.

O cálice assim como os outros objetos são reduzidos a pó. Oniria sorri.

– Vocês podem ir agora, mas mantenham essa espada em segurança até que eu vá buscá-la. – Diz Oniria. – Vão, pois Morgana não será impedida por muito tempo por seu irmão, Aron.

– Obrigado! – Agradece Alim e Aron juntos.

Aron segura na mão de Alim.

Arapato Ibarano Vitrono! – Pronuncia Aron desaparecendo em seguida, assim como Alim.


Lion leva Galbo até Merato  que ainda repousa, os dois se olham.

– O senhor precisa me ajudar. – Diz Lion chorando.

Galbo sente muita dores.

– Você sabe o que fazer, Lion, não se subestime dessa maneira. – Diz Merato.  – Encontre em você a cura para quase tudo,  jovem Lion.

– Eu não tenho tempo para charada, Merato. O Galbo está morrendo e eu preciso impedir  que isso aconteça. – Lion está aflito, ele pousa a cabeça do cavaleiro  no chão do quarto.

– Depois do amor que une duas pessoas, há algo tão forte quanto e que já é de conhecimento de muitos, mas poucos dão a devida fé para que a magia continue acontecendo, um beijo pode tudo, jovem Lion.

Lion olha para Merato, que acena positivamente com a cabeça.

Lion sem demora encosta seus lábios nos lábios do cavaleiro Galbo, que tem seu corpo iluminado intensamente e de forma rápida, ele adormece.

– Não deu certo? – Pergunta Lion emocionado ao levantar a cabeça.

– Você conseguiu, agora ele só está repousa, não tarda para acordar. – Responde Merato.

Lion troca suas lágrimas de tristeza por lágrimas de felicidade.

– Agora sou eu que tenho de fazer algo para acabar com tudo isso. Todos nós compartilhamos das mesmas vontades, dos mesmos sonhos. – Diz Merato.

– O que você fará, Merato? – Pergunta Lion.

– Aquilo que eu deveria ter feito há bastante tempo, jovem Lion.

Merato tem seus olhos totalmente verdes, sua mão irradia uma luz intensa.


Morgana depois de muito tentar exaustivamente consegue destruir o campo de força que Lion criara.

– Tolos aqueles que acham ser capazes de poderem me deter. – Sorri Morgana. – Ataquem! – Grita a bruxa para seus guerreiros.

Os guerreiros imortais seguem  em direção ao portão do Castelo de Viturius, são velozes. O espelho que Morgana segura nas mãos começa a tremer, ela se assusta e o solta no chão. Aron e Alim aparecem próximo dela.

– Vocês voltaram?  Estou surpresa, afinal nunca achei que um rei abandonaria seu povo. – Morgana debocha.

– Eu não os abandonei e nunca faria isso. – Afirma Alim.

– Você é um péssimo rei, Alim. Olha o que você deixou que acontecesse, não é muito diferente de seu pai. – Morgana continua com a provocação.

O vidro do espelho de Croso fica líquido como água e se expande. Morgana olha com muito ódio para o rei e para o mago.

– A partir de hoje vocês não existirão mais, assim como Viturius. – Ameaça Morgana. – Zarabra Onzari Etrom Firetrea ! – Pronuncia Morgana. 

O Céu de Viturius começa a ficar vermelho, as pessoas abrigadas dentro do Palácio se assustam ainda mais quando o portão é derrubado, os cavaleiros começam a guerrear com os invasores mesmo sabendo que esses não podem ser vencidos por armas normais.

Morgana joga outro feitiço, mas agora em direção a Alim e Aron. Alim empunha sua espada, o feitiço de Morgana atinge em cheio a arma do rei, logo Morgana é atingida por seu próprio feitiço e cai em cima do espelho de Croso que a suga para dentro, a bruxa é aprisionada, o exército de imortais desaparecem junto com as nuvens vermelhas que aterrorizavam. Aron empunha a espada de Oniria, e assim que o espelho retorna ao normal, ele acerta um golpe com a lâmina da espada. O espelho de Croso é completamente destruído.

Morgana grita desesperada enquanto aparece em um salão cercado por espelhos. A bruxa está sozinha, presa, bate com toda as forças nos espelhos, ela lança alguns feitiços, mas nada dá certo. Morgana cai de joelhos no chão, múltiplas imagens dela aparece nos diversos espelhos, várias risadas sucessivas são ouvidas, a bruxa coloca as mãos no ouvido.


Lion abraça Galbo quando ele desperta.

– Acabou Galbo, acabou! – Lion sorri antes de beijar Galbo.

O cavaleiro abraça o feiticeiro.

– Obrigado por ter me salvado, eu lhe devo minha vida. – Galbo agradece.

– Você não me deve nada, Galbo. – Afirma Lion ainda abraçado a Galbo. – Você está aqui de novo e isso é o que mais importa.

Os dois se olham cheio de alegria.

Aron e Alim estão na sala do trono, um de frente para o outro, e Merato aparece.

– Meus amigos, obrigado pela hospitalidade de vocês, mas agora é o momento de minha partida, do meu desprendimento de tudo que aqui existe. – Diz Merato sorrindo. – Mas não se esqueçam que ainda haverá muita coisa a ser vivida, e muitos tentarão destruir o equilíbrio que só vocês dois conseguem manter. – Merato se aproxima do rei e do mago e lhes toca o coração. – Que vocês estejam juntos sempre, em todos os momentos. – Deseja Merato.

Aron e Alim seguram a mão de Merato.

– Muito obrigado por ter nos ajudado tanto, Merato. – Rei e Mago agradecem.

Merato sorri e se vira, o sacerdote caminha em direção a porta.

– A história de vocês não termina aqui, há muito para ser desvendado, joven mago Aron e rei Alim. Vocês terão muito o que saber. – Diz Merato antes de desaparecer.

Aron aperta a mão de Alim.

– Juntos, sempre! – Diz Alim tocando o rosto de Aron, que por sua vez faz o mesmo com o rosto do rei.

– Não importa o que aconteça,  ao seu lado sempre vou estar. – Afirma Aron, o mago antes de beijar Alim.

O sol se põe em Viturius.


CONTINUA 

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s