O Mago: Capítulo 9 (Segunda Temporada)


picsart_12-04-08.20.03-1.jpg

A Safira de Arba, O cálice de Mortori e o Coração da Fênix 

Parte 1


O sol é convidativo para um passeio, a manhã um pouco fria não intimida Aron e Alim a fazerem uma pequena viagem, os cavalos do rei e do mago vão devagar quase um do lado do outro, alguns metros atrás vem Galbo e Lion, que por sua vez se pega tentando se ajeitar no cavalo de uma maneira que não faça doer seu traseiro, Galbo dá algumas risadas das tentativas fracassadas de Lion.

– Você nunca andou a cavalo, Sir Lion? – Pergunta Galbo enquanto tenta se livrar em vão da crise de riso que está tendo.

Lion olha para Galbo que vira o rosto para não ser visto achando graça de tudo aquilo.

– Nunca andei, Galbo, e pode virar para mim, pois sei que está rindo dessa situação embaraçosa em que estou. – Lion sorri. – Onde estamos indo mesmo? – Lion coça a cabeça e tenta se lembrar do que Aron disse antes de sair do Castelo.

Galbo encara Lion por uma pequena fração de segundo.

– Estamos indo até o Castelo de Obara. – Diz Galbo percebendo a dificuldade de Lion em se lembrar.

– E Faremos o que mesmo nesse Castelo? – Pergunta Lion na tentativa de saber mais.

– Recebemos semana passada um comunicado de nosso informante de que Brozan habita esse local, então o rei quer pegá-lo de surpresa. – Responde Galbo.

– Eu sinto que isso não seja uma boa ideia, afinal o Brozan pode saber se estamos seguindo para lá, e isso pode acabar mal. – Comenta Lion enquanto olha para Galbo.

– Você tem que ter mais confiança em seu irmão e no rei, Lion.

– Eu confio neles, Galbo, mas não é aí que está o perigo, e sim na imprevisibilidade do Brozan. Ele não é um feiticeiro qualquer que deva ser menosprezado de nenhuma maneira, devemos ficar atento.

Galbo olha com certa admiração para Lion.

– Sua vinda para cá está sendo uma bênção, pois até mais sábio você está ficando, diferente de quando chegou por aqui. – Galbo sorri olhando para o fronte.

– Você achava isso de mim?

– Era só uma impressão ruim. -Afirma Galbo. – Mas logo vi que você aprendeu muito com seu irmão. -Galbo sorri.

– Sei, vou ficar de olho em você. – Promete Lion.

– Mais do que já fica, Lion? – Indaga Galbo sorrindo.

Lion fica corado, se sente envergonhado, Galbo percebe e aproxima seu cavalo do dele, e Lion se vê envolvido pelos braços de Galbo que o puxa e coloca sentado a sua frente, agora estão os dois no mesmo cavalo.

– Eu lhe devia essa, por isso não vou deixar você sofrendo em cima desse cavalo.

Lion fica ainda mais vermelho com as palavras de Galbo.



Aron olha para trás e vê o irmão e Galbo em um único cavalo, ele sorri discretamente.

– Não toma jeito mesmo. – Aron pensa alto.

Alim olha para Aron e franze a testa.

– Falou comigo, Aron? – Questiona Alim.

– Não, Milord, só pensei alto aqui comigo.

Alim pára o cavalo e faz com que Aron também pare o dele.

– Aron, você sabe que não é necessário me tratar assim, e digo mais, não quero ouvir você me tratando com tanta formalidade como me tratou agora. – Alim segura no queixo de Aron. – Eu e você nos conhecemos tão bem, por dentro e por fora, não  é  necessário isso. – Alim sorri quebrando a tensão.

– Nem parece o Alim que conheci anos atrás, fazia questão que eu tratasse assim, só assim. – Comenta Aron sorrindo.

– Aquele Alim tolo não existe mais, Aron. Agora existe esse aqui que deseja ter você ao lado dele para sempre.

Um sorri para o outro e seguem cavalgando. Aron consegue avistar de onde está um Castelo próximo ao mar, ele para o cavalo.

– Já chegamos? – Pergunta Aron para Alim que se coloca ao lado dele após descer do cavalo.

– Sim, é aqui que o nosso informante disse que o Brozan está habitando. Vamos?

Alim começa a andar, mas Aron se coloca na sua frente, mago e rei se olham.

– O que foi, Aron? –Questiona Alim percebendo a expressão de preocupação de Aron.

– O que faz você acreditar que o Brozan já não esteja esperando por nós? Ele é um feiticeiro, Alim e pode saber de tudo. – Indaga Aron com um certo receio de encontrar Brozan pelo caminho.

– Não importa, Aron, pois essa é a única chance que temos para destruir essa ameaça que ele representa ao equilíbrio do Reino, não podemos deixar que ele tente alguma coisa contra todo o nosso povo. – Diz Alim beijando a face de Aron. – Tudo ficará bem, pequeno.

Galbo e Lion se aproximam, descem do cavalo e olham para o Castelo que beira o mar. Lion se aproxima do irmão, Galbo do Rei Alim. Aron olha para o irmão e sorri.

– Já se esqueceu do Hinor, meu irmão?  – Pergunta Aron sorrindo.

Lion fica de frente para Aron.

– Eu não fiz nada com o Galbo, Aron, juro. – Lion beija os dedos indicadores da mão. – Eu respeito o Catro, não poderia agir assim com ele.

– Você tem sido muito sensato ultimamente, Lion e isso é importante.

Aron sai caminhando em direção a Alim e Galbo. Lion os observa até ouvir um assobio, ele entra em meio as árvores a procura do assobio, olha para os lados, mas não vê ninguém.

Revmenla! – Pronuncia Lion.

Os olhos de Lion ficam azuis, ele olha para todas as direções e consegue ver quem assobia, os olhos de Lion voltam a cor normal, ele corre por entre as árvores, tem pressa, só para quando chega o local em que viu quem estava assobiando.

– Hinor, como você veio parar aqui? -Questiona Lion enquanto caminha até o Rei do Reino do Sul.

Lion nota que Hinor está preso por uma corrente a uma árvore.

– Como? Quem fez isso com você? – Lion está impressionado.

– Ele queria minha ajuda e do meu exército para invadir o Reino de Viturius, mas eu recusei, então ele me trouxe para cá, disse que eu serviria de almoço para os grandes ursos Orzon. – Conta Hinor enquanto Lion tenta soltá-lo. – É inútil, Lion, eu já tentei de tudo, eu só queria me despedir de você.

Lion olha nos olhos de Hinor.

– Não diga uma coisa dessas, Hinor, eu vou tirar você daqui nem que isso custe minha vida. – Promete Lion antes de beijar Hinor. – Esse não será nosso último beijo, acredite.

Lion e Hinor ouvem um grande barulho parecido com um som de um urso raivoso.

– Sai daqui, Lion, eu não posso deixar que ele fira você. – Diz o rei Hinor empurrando Lion.

– Você não está em condições de exigir nada, Hinor. Eu ficarei com você até o final, mas enquanto isso continuarei tentando soltar você.

Lion continua com seus feitiços tentando quebrar a corrente que prende Hinor a árvore, mas nada dá  resultado,  porém ele tem uma ideia.

Floba Viranto Naturu! – Pronuncia Lion.

As raízes da árvore começam a se soltar, até mesmo a que abriga a corrente, que por sua vez se solta, um dos ursos Orzon aparece, mas diferente do que eles pensavam, a criatura não ataca, mas foge e quando não vê que os dois não o acompanha, ele pára e os chama com a pata. Lion e Hinor seguem o urso até saírem próximo de onde Aron, Alim e Galbo estão.

– O que é isso? – Pergunta Galbo assustado enquanto olha para o urso de pelagem branca, que com certeza seria capaz de devorar a todos se assim quisesse. – Um urso Orzon!

Aron encara Lion e Hinor.

– O que vocês fizeram? – Questiona Aron ao se aproximar de Orzon.

O urso Orzon se abaixa e fica com a cara próximo de Aron, e Alim se coloca ao lado do mago.

– Fique tranquilo jovem rei, não vou machucar você ou o mago dos magos, muito menos seus amigos, só queria advertir vocês do plano de Brozan. – O grande urso tenta tranquilizar.

– O que ele planeja? – Aron pergunta.

O urso olha diretamente para Aron e aponta para o colar que o mago usa.

– Ele pretende ter em mãos os três objetos que darão a ele a chave para encontrar o feitiço perdido, caro mago, o feitiço que pode destruir todos nós para sempre. – Explica o grande urso.

Todos o olham. Aron toca no colar que Morella lhe deu antes de morrer.

– Esse colar. – Aron pega o colar nas mãos. – É um dos objetos que o Brozan procura? – Pergunta Aron para o Urso Orzon.

O grande urso acena afirmativamente para Aron.

– Temos que sair daqui. – Diz Alim pegando na mão de Aron. – Ele sabia o tempo todo que a gente viria até ele.

– Vão, saiam daqui enquanto podem, pois ele usará o Aron para encontrar os outros dois objetos, e isso não pode acontecer de maneira alguma. – Adverte o grande urso. – Eu atrasarei ele. Mas Aron, encontre os outros objetos, a safira de Arba e o Cálice de Mortori e os destrua, agora vão, vão!

Aron dá sua mão esquerda para Alim que segura, logo Galbo segura a outra mão de Aron, e assim até Hinor.

Arapato Ibarano! -Pronuncia Aron e Lion juntos.

Uma luz de um brilho muito intenso os envolve, todos desaparecem.

O grande urso observa Brozan se aproximar a cavalo rapidamente. Brozan desce do cavalo e encara o urso.

–  Então, conseguiu pegá-los? – Questiona Brozan ficando muito próximo do urso.

– Eles fugiram, Mestre,eu não pude fazer nada, os irmãos Nilrem são bem poderosos.

Brozan caminha até por todos os lados, parece verificar alguma coisa muito importante.

– Da próxima vez, eles não conseguirão escapar, tenha certeza disso. – Garante Brozan enquanto encara o grande urso.



Alim, Aron, Galbo, Lion e Hinor aparecem no salão principal do Castelo. Alim caminha até a janela acompanhado de Aron.

– Eu vou procurar  os objetos sozinho, Alim. – Afirma Aron. – Não quero deixá-lo em perigo de forma alguma.

Alim segura as mãos de Aron, e sorri.

– Isso está fora de cogitação, Aron. Eu irei com você. – Alim suspira. Você se esquece de que se você partir, eu também partirei, e não quero, se isso acontecer, não estar ao seu lado, pequeno. – Diz Alim enquanto encosta a boca próximo do ouvido de Aron. – Eu amo você, amo muito,  e nada vai me fazer deixar de proteger você, mesmo que pareça ser em vão.

Alim segura Aron pela cintura, a boca de ambos ficam próximas, o beijo é calmo e irresistível, se desligam do mundo por pequeno espaço de tempo até ouvirem aplausos, eles se desgrudam sorrindo.

– Depois sou eu quem é muito atirado. – Diz Lion em pensamento para o irmão. – A gente vai conseguir acabar com os planos do Brozan, irmão.

Aron olha para o irmão que sorri. Alim segura na mão de Aron.

– Nunca vou lhe deixar sozinho, Aron, vamos enfrentar isso junto pelo bem de Viturius. – Alim segura o queixo de Aron, e sorri. – E nem pense em me deixar fora.

Alim dá um abraça bem apertado em Aron.

– Nós conseguiremos, sim, Alim. -Aron tenta tranquilizar o rei, que respira profundamente. – Obrigado por me manter ao seu lado. – Aron levanta o rosto.

Alim toca a ponta do nariz de Aron com o dedo indicador.

– Vou mantê-lo ao meu lado sempre, nós venceremos essa batalha que se aproxima, nós manteremos a paz juntos como sempre estivemos. – Diz Alim antes de beijar a testa de Aron.

CONTINUA

Anúncios

3 comentários sobre “O Mago: Capítulo 9 (Segunda Temporada)

  1. Que maravilha de capitulo amigo! Achei leve e gostoso de ler! E posso confessar, eu sei que é errado, mas eu super shippo Lion e Galbo. Já queria Lion cavalgando em Galbo, seria o meu sonho? “Pa ra pa pa ra pa pa ra vai rolar um adulterio pa pa ra ra ra” kkkkkkk esse é o funk do Lion kkkkkk já quero! Acho que tem quimica aí, senti, tipo um desejo proibido que quando acontecer vai ser explosivo ), selvagem! Adorei o capitulo seu lindo… e mais uma vez amei a fênix inserida na trama…amo!!!!!

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s