Luz dos Olhos: Capítulo 7



Fazenda Temporal, Sede, Corredor, Noite

Brenda está no corredor, ela olha para a porta do quarto, que está entreaberta. Gonçalo alcança a esposa.

GONÇALO: – O que houve?

BRENDA: – Eu não deixei a porta do quarto aberta ou deixei?

GONÇALO: – Nós fechamos!

Brenda começa a sentir um frio repentino, ela caminha devagar até o quarto, Gonçalo está logo ao seu lado. Brenda vê a cortina da janela se mexendo por causa do vento. Gonçalo e Brenda se aproximam do berço do filho,  o choque é grande ao não verem o pequeno Rodrigo.

BRENDA (assustada): – Cadê ele, cadê o meu filho, Gonçalo?

Gonçalo se desespera junto da esposa, os dois estão sem entender.

GONÇALO: – Nosso filho foi levado, nós  deixamos ele aqui, mas não está mais, ele só pode ter sido levado.

Brenda começa a chorar desesperadamente.

BRENDA: – Não, meu filho não! Não, meu Deus!

Gonçalo tenta evitar as lágrimas, mas elas são inevitáveis.

GONÇALO: – Fica aqui, pois a pessoa que fez isso não deve ter ido muito longe, vou fazer de tudo pra trazer nosso filho de volta.

Gonçalo beija a testa da esposa e sai em seguida.


Fazenda Temporal, Sala, Noite 

Gonçalo desce pela escada com uma pressa absurda. Cássio está sentado no sofá, ele se levanta assim que o irmão aparece. Gonçalo olha para Nestor.

GONÇALO: – Conversamos depois!

CÁSSIO: – O que aconteceu lá em cima?

GONÇALO: – Meu filho sumiu, eu não sei como isso foi acontecer, mas eu vou encontrar ele.

CÁSSIO: – Eu vou junto procurar ele.

Gonçalo anda e para próximo a porta.

GONÇALO: – Então vamos, não podemos perder tempo.

Gonçalo e Cássio saem de casa.


Nevedo, Casa dos Matoso, Sala, Noite

Bibiane está deitada no sofá, tem uma forte dor de cabeça, Rui está agachado ao lado dela.

RUI: – Primeiro sua saúde, meu amor. Podemos viajar amanhã.

BIBIANE: – Eu não sei o que houve, pois comecei a me sentir assim do nada.

RUI: – Tudo ficará bem, você vai ver, meu amor.

BIBIANE: – Eu acredito nisso, só é uma dor que logo passará!

Rui beija a testa de Bibiane, que sorri.


Fazenda Temporal, Noite

Brenda chora na varanda enquanto vê o carro do marido sair da fazenda,  ela olha para os lados.

BRENDA: – Não ficarei aqui parada, meu filho, eu vou encontrar você.

Brenda sai na garoa que cai sem parar, ela rodeia a casa, alguns relâmpagos iluminam as partes mais escuras. Brenda se mantém atenta, não deixa nenhum detalhe passar.

BRENDA: – Quem faria isso comigo, meu Deus?

Brenda caminha pensativa pelo gramado molhado, ela para ao ouvir um choro.

BRENDA: – Filho?

Brenda segue na direção do choro, anda cada vez mais rápido, quando se aproxima do estábulo, o choro fica mais intenso ao seu ouvido. Ela se aproxima do estábulo e vê uma mulher segurando seu filho nos braços.

BRENDA: – Quem é você? Devolva meu filho!

MULHER: – Não interessa saber quem eu sou, agora vamos negociar.

BRENDA: – Quem mandou você fazer isso?

MULHER: – Não desconfia? Agora cale a boca e vamos negociar a vida de seu filho.

BRENDA: – Desgraçada, devolva meu filho. Quanto você quer?

MULHER: – Bom, eu quero uma excelente quantia em dinheiro. Dinheiro suficiente pra eu me mudar de país e viver minha  Nova vida em paz. Não estou fazendo isso por querer, ele me obrigou, eu queria mudar.

BRENDA: – Eu nunca chegaria a imaginar que ele seria capaz disso. Eu vou dar o dinheiro  pra você, mas devolva meu filho, ele é tudo para mim.

A mulher trajando uma capa com capuz preto entrega o bebê para Brenda.

MULHER: – Você tem que ser forte a partir de agora, dona, pois ele estará disposto a tudo quando descobrir que não levei o plano adiante.

BRENDA: – O que ele planeja?

MULHER: – Você deve imaginar!

Brenda beija o rosto do filho.

BRENDA: – Proteja o Gonçalo,  meu Deus!


Estrada, Noite

Gonçalo está com Cássio no carro, eles procuram pelo paradeiro da Pessoa que sequestrou o pequeno Rodrigo.

CÁSSIO: – Se acalma, meu irmão. Nós vamos encontrar meu sobrinho.

GONÇALO: – Não tem como eu me acalmar, Cássio. Meu filho deve estar em perigo. Quem faria isso comigo?

Cássio sorri longe do campo de visão de Gonçalo.

CÁSSIO: – O Rui tem motivos suficientes.

Gonçalo olha para Cássio.

GONÇALO: – Não, ele nunca faria isso, tenho certeza.

CÁSSIO: – Não custa averiguar.

Gonçalo está tão perdido na dor de ter o filho raptado, que não enxerga o verdadeiro culpado. Gonçalo segue em alta velocidade para para Nevedo.


Nevedo, Casa dos Matoso, Noite

Bibiane está com a cabeça apoiada no colo de Rui, que afaga o cabelo da esposa. A campainha da casa é tocada de maneira insistente.

RUI: – Quem será?

BIBIANE: – Deve ser algo urgente!

Rui se levanta do sofá e segue até a porta, ele a abre. Gonçalo entra enraivecido.

GONÇALO: – Cadê meu filho, cadê o meu filho?

Rui se assusta com o modo que Gonçalo entra, parece transtornado.

RUI: – Gonçalo, ele está na sua fazenda.

GONÇALO: – Ele não está, foi sequestrado e a única pessoa que tem motivos para ter feito tamanha crueldade é você.

Rui se espanta.

RUI: – Eu nunca faria uma coisa dessas, Gonçalo, nunca! (Grita).

GONÇALO: – Se você tiver alguma coisa a ver com isso, eu não vou perdoar, não vou!

RUI: – Não acredito que você esteja acreditando nisso.

Gonçalo se encaminha para fora da casa de Rui, que o observa. Rui vê Cássio no banco ao lado do motorista sorrindo.

Gonçalo entra no carro e segue.


Fazenda Nascente, Sala, Noite

Mariana tem um álbum de fotografia nas mãos, ela está sentada no sofá, algumas lágrimas caem em cima das fotos. Mariana pega uma foto de um bebê e beija.

MARIANA: – Como você deve estar agora, Gonçalo? Será que seu pai trocou o seu nome, será que você está bem? Eu te amo muito, filho, muito.

Mariana chora enquanto aperta a foto do bebê contra seu peito.


Estrada, Noite

Já é tarde da noite. Gonçalo junto com Cássio retorna para a Fazenda Temporal. Gonçalo está desolado, seu interior é uma mistura de raiva e frustação principalmente por não ter conseguido proteger o filho. Gonçalo para o carro.

GONÇALO: – Maldito! Maldito. Não entendo o motivo deke te feito isso.

Gonçalo bate com as mãos no volante, ele chora.

CÁSSIO: – Não vamos perder a esperança, meu irmão, nós vamos encontrar o Rodrigo.

Gonçalo coloca o carro em movimento outra vez, tem a visão embaçada por causa do choro. O veículo em que os irmãos estão entram em uma descida acentuada, Cássio sorri.

CÁSSIO: – É agora ou nunca!

GONÇALO: – O que você disse, Cássio?

Gonçalo enxuga as lágrimas, ele olha para Cássio que está sério. Gonçalo tenta frear o carro, mas nada acontece, ele tem um olhar de verdadeiro desespero.

CÁSSIO: – O que houve? O que aconteceu?

GONÇALO: – Os freios não pegam, eu não sei o que acontece!

O carro desce cada vez mais rápido. Gonçalo olha para o irmão, que olha para ele, olhares de medo.

CONTINUA…

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s