Devaneios


Desmedida construção inacabada em mim

Dá o aval para seres estranhos habitar aqui

Tenho que terminar a construção

Tenho que proteger esse frágil coração

Não deixarei essa construção abandonada

A mercê de invasores que só querem o nada

Já comprei os materiais necessários para o forte

Agora não hei de brincar com a sorte

Nem deixarei esse órgão desprotegido

Agora do ápice desse muro direi:

Olá, seja bem vindo

Mas só se tiver boa intenção

Caso contrário, não darei atenção,

Vai embora, solte de minha mão.

Anúncios

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s