O Próximo Alvo: Capítulo 13


Ana é levada por um dos homens que está cuidando de sua guarda, os dois partem de carro para cidade. Ana só quer saber se a família está bem, ela continua com o coração apertado, lágrimas banham seu rosto enquanto o carro está em movimento.


 

Rua Romana

Várias ambulâncias estão paradas na rua,  algumas pessoas estão sujas de poeira devido ao desabamento do edifício, algumas são atendidas e liberadas rapidamente, outras estão em choque com o que presenciaram. Madonna é levada para o hospital, Araban acompanha a mãe.

THIAGO: Será que ele tentou se matar, Túlio? 

TÚLIO: Não duvido. Ninguém sabia do que aquele homem era capaz de fazer. Eu só queria saber se minha madrinha está viva ou não.

THIAGO: Nós vamos encontrar ela, Túlio!

Um carro preto para na esquina da rua, Ana sai do carro apressada, e consegue avistar Túlio e Thiago. Ana corre na direção deles. Túlio olha para Thiago.

THIAGO: Vai lá! 

Thiago vai ao encontro de Ana, que o abraça e lhe dá sucessivos beijos na bochecha, na boca, está aliviada de ver seu amor bem.

ANA: Você está bem, meu amor! Eu não sei o que eu faria se perdesse você.

TÚLIO: Estou bem, melhor agora com você aqui.

Túlio beija Ana.

ANA: Senti sua falta. Senti muito sua falta!

Os dois começam a caminhar até Thiago, que sorri ao vê-los juntos.

ANA: Pai, todos estão bem?

THIAGO: Ana, a gente não sabe ainda, mas parece que seu avô estava dentro do apartamento, mas são informações desencontradas.

ANA (chora): Ele morreu então, pai?

Thiago abraça Ana 

THIAGO: Não sabemos com certeza ainda,  filha!


 

O dia amanhece.

Os bombeiros começam a busca por possíveis vítimas do desabamento do edifício Líbero. Thiago está com Ana e Túlio no Bairro Constantinopla. Araban faz companhia para a mãe, que está em coma induzido e no mesmo hospital está Lucas acompanhando Fernando. 



Rodovia Pessoa Noriega 

Ivo dirige o carro. Carlos e Enrico estão atrás. Logo atrás do carro em que estão vem dois carros preto.

CARLOS: Enfim, a gente poderá viver em paz.

ENRICO: Nem acredito que eu era filho dele. Ele matou a própria mulher, só pelo fato de ela ter descoberto tudo.

CARLOS: Nossa mãe foi guerreira, Enrico. Ela nos protegeu, ela o enfrentou até que não pode mais.

ENRICO: Eu quero que ele passe um bom tempo atrás das grades.

IVO: Aquela noite eu imaginei que eu iria morrer de novo!

ENRICO: O dia da festa da Araban, eu só senti uma forte pancada na cabeça e quando acordei já estava naquele quarto do sítio.

CARLOS: Mas teria que ter sido assim mesmo, pois não podíamos correr o risco do Magno agir antes.  Eu e o Thiago planejamos isso durante algum tempo.

IVO: Você mantinha contato com ele, Carlos?

CARLOS: Sim, principalmente depois do que meu pai armou pra ele. O Thiago era um dos meus melhores amigos, e depois que eu soube que meu pai armou pra ele, não poderia deixá-lo naquele lugar.

ENRICO: Eu admirava meu pai. Fui ingênuo demais! Ele agiu contra  todos nós.

IVO (sorri): Mas a justiça está chegando.



Bairro Constantinopla, Casa dos Ramalho 

Ana sofre pela morte do avô, Túlio tenta apoiá-la, mas também mantém os pensamentos no desaparecimento de sua madrinha. Túlio abraça Ana e a beija.

TÚLIO: Meu amor, eu sei que é difícil, mas seja forte!

Túlio passa a mão nos cabelos de Ana, que chora e deita em seu colo.

ANA: Eu só queria que tudo isso fosse um pesadelo, Túlio. Sei que meu vô era um homem muito ruim, mas eu sinto  pena dele ter morrido assim.

TÚLIO: Eu também queria, Ana!

Túlio beija a testa de Ana.



Hospital San Lorenzo 

Já é quase meio-dia. Os efeitos dos remédios de  Madonna passam, ela desperta, olha ao redor e vê Araban sentada ao seu lado.

MADONNA: O que aconteceu comigo?

ARABAN: Nós quase morremos, mãe.

MADONNA: Como assim?

ARABAN: O apartamento pegou fogo, e assim que saímos, o edifício  desmoronou.

Madonna coloca a mão na boca. Araban olha a mãe com tristeza.

MADONNA: Seu vô!? Cadê ele? Ele está bem?

Araban se afasta de onde sua mãe está deitada, ela para  próximo a janela. Madonna percebe algo de errado.

ARABAN: O vô morreu, mãe!

MADONNA (chocada): Não! Isso não pode ser verdade! Ele não morreu, você está mentindo.

ARABAN (chora): Eu não brincaria com uma coisa dessas, mãe!

Madonna pela primeira vez chora na frente da filha, que abraça a mãe. Madonna empurra Araban.

MADONNA: Sai daqui! Sai daqui! Eu quero  ficar sozinha!

Araban enxuga as lágrimas e sai do quarto.



Bairro Canudos, Edifício Dourado, Apartamento de Sílvia

Olívia está sentada junto com a mãe, as duas se olham tristes por aquela tragédia na família.

SÍLVIA: Talvez tenha sido melhor assim, filha.

OLÍVIA: Não posso discordar da senhora, pois meu vô era um homem muito mau e com certeza ele poderia nos fazer mal a qualquer momento.

SÍLVIA: A Ana me ligou e disse que vão fazer uma pequena despedida amanhã.

OLÍVIA: A senhora vai, mãe? 

SÍLVIA: Estou pensando em ir, pelo menos para tentar confortar sua prima.

OLÍVIA: Eu e Lucas estávamos decidido a entregar aquelas provas da morte da vovó para a polícia, mas com tudo isso que nos aconteceu, acabamos adiando.

SÍLVIA: Vocês agiram da maneira certa, filha. O Lucas ainda está com esse tal de Fernando? 

OLÍVIA  (sorri): Está e acho que não vai sair tão cedo do lado dele. Você sabe como o Lucas é com relação a acidentados.

SÍLVIA: Lá vai meu filho se iludir de novo!

OLÍVIA: Ele vai ficar bem, mãe. O Lucas já é adulto.

A campainha do apartamento toca. Olívia se levanta. 

SÍLVIA: Deve ser a Diana, filha, abre pra mim!?

Olívia vai até a porta, destranca, e quando ela abre, fica surpresa com quem ela vê. Olívia desmaia, mas é segurada  por Carlos. Silvia  leva um susto ao ver Carlos vivo.



Bairro Constantinopla, Casa dos Ramalho 

A campainha da casa toca, Thiago abre a porta e vê Enrico e Ivo parados, um pouco mais distante está dois policiais federais.

THIAGO: Vocês  conseguiram?

IVO: Graças as todas as provas que tínhamos, agora só falta prender o Magno.

THIAGO (surpreso): Vocês  ainda não sabem? 

ENRICO:  Do que Thiago?  O que houve em nossa ausência?

THIAGO: O doutor  Magno morreu ontem na explosão do edifício!

ENRICO (assustado): Não!  Isso não pode ser verdade! 

IVO: É verdade isso Thiago?

THIAGO: É sim, Ivo!

ENRICO (confuso): Foi você, Thiago? O que você fez com meu pai.

Thiago se assusta com a insinuação de Enrico.


CONTINUA…

Anúncios

4 comentários sobre “O Próximo Alvo: Capítulo 13

  1. OMG!!! Quando falei que seria tiro, porrada e bomba, estava mais que certo. Thiago vai ser culpado pela morte do Magno? Espero que nn, coitado. Morgana também nn merece isso, mas alguém terá que levar a culpa. Parabéns, Jair!

Então, o que você achou? Deixe sua resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s